Amigo de gozada

Olá! Estou mais uma vez aqui pra contar pra vocês, caros leitores, mais uma aventura minha.

Quando era adolescente, comecei a praticar futsal em um clube perto de onde eu morava. Não jogava nada, mas logo fui fazendo amizade com os outros meninos e fui melhorando, até ser disputado pelos times nas peladas.

Alguns meses se passaram. Eu, então com 16 anos, resolvi explorar meu desejo e atração pelo sexo. Tentei queixar umas meninas, mas levei fora de todas. Na escolinha conheci Alberto e Jonas, eles passaram a ser meus melhores amigos. Amizade de irmos um a casa do outro e passarmos dias. E, para minha surpresa, estava sentindo algo estranho por eles. Estávamos com os hormônios lá em cima e nossos corpos estavam se formando. Jonas teve que se afastar uns meses da escolinha por motivos pessoais.

Era feira de ciências no colégio, isso nos dava uma semana sem ser que ir à escola. Fui, numa quinta-feira, pra casa de Alberto. Seus pais haviam ido trabalhar e seu irmão, por trabalhar só à tarde, passava o dia dormindo. Estávamos jogando vídeo game no quarto de Alberto. De repente seu irmão acorda, passa nu em frente à porta do quarto onde estamos e vai para o banheiro tomar banho para ir trabalhar.

Ele tinha uns 18 anos e era portador de um dote de uns 15cm (Ps.: tava mole). Levei um susto com tudo aquilo passando em minha frente. Olhei para Alberto e disse: “Horra, que é isso tudo?!?! Kkkkkkkkkkkkkkkk…” Alberto olhou pra mim e disse: “Aqui em casa é tudo assim mesmo. Tenho pena é da minha mãe… kkkk…” E bolamos de tanto rir. Voltamos pra o game. Mas, em pouco tempo, algo nos despertou a atenção: Lucas, irmão de Alberto, estava gemendo. Fomos silenciosamente ver o que era. Do corredor, conseguimos ver que Lucas estava na sala e fomos nos aproximando devagar. Vimos Lucas sentado no sofá assistindo a um filme pornô. Ficamos ofegante e voltamos pro quarto. Já no quarto, Alberto chegou pra mim e disse: “Marcos, presta atenção. Eu vou lá na sala e vou assistir aquele filme com meu irmão… Olha, já to de pd! Fica ai!” Disse ok, mas não me aguentei. Tava, estranhamente, desejando ver aquele pauzão gozando e, claro, descobrir como era o de Alberto.

Fui para o corredor e ouvi Alberto falando com o irmão dele. “Ei máh, que porra é essa?! Tu compra os pornô e nem me avisa pra ver!!!” disse Alberto com tom de raiva. Chego logo após e digo: “Que porra é essa?! Voceis vem se punhetar aqui e nem me chamam… Tô aqui loco de tesão!” Alberto e Lucas olharam pra mim com cara de reprovação e de surpresa, respectivamente. “Bora, dá play preu ver essa bucetuda sendo fudida” disse eu com muita vontade de gozar ali junto com eles.

Lucas disse: “Ok, mas num vai contar nada disso pra tua mãe não…” E é claro que aceitei… Assistimos àquele filme completo. Lucas, com aqueles 23cm, gozou muito forte e loucamente. Alberto, com seus 19cm, também. E eu, com meus 15-16cm, dei uma esporrada e umas gotinhas. Eles olharam pra mim e começaram a rir. Lucas foi tomar banho e eu e Alberto ficamos conversando. Limpamos-nos e voltamos pra o vídeo game.

Mais tarde, decidimos ver outros pornôs do irmão dele. Já estávamos de pd de novo. Assistimos a uns vídeos e descemos pro play pra treinar um pouco. Depois de treinarmos, subimos e, pra nossa surpresa, havíamos deixado o filme rolando. Vendo aquela linda mulher se tocando tiramos a roupa e sentamos no sofá. Olhei pra Alberto e não me aguentei. Sentei no colo dele e disse: ”Puxa! Sempre tive uma atração por você…” Ele olhou pra mim e disse: “Tá doido?! Pera! Vamos fazer o seguinte: agente se toca, se masturba, mas não fode o cu do outro, ok?!” ”Ok!” E começamos.

Ouvindo e vendo aquelas gatas gemendo e aqueles caras fudendo com elas, nos tocamos. Olhei pra ele, peguei na bunda dele, era uma coisa bem redondinha, e o beijei. Ele olhou pra mim e disse:”Me chupa!” “Só se você me chupar também!” respondi. Fizemos aquilo que, só depois, descobrimos serChupei ele como uma criança chupa faminta o peito de sua mãe. Ele, meio com nojo, foi menos fervoroso. Quando estávamos perto de gozar corremos para o banheiro. Ligamos a banheira. Ficamos nos agarrando em meio a toda aquela água e aquela espuma. Gozamos novamente. Dessa vez eu dei uma esporrada mais forte. Foi maravilhoso ver toda nossa porra se misturar na água. Nos beijamos, terminamos o banho e fomos pro quarto. Assim que chegamos no quarto o interfone toca, Alberto atende, eram meus pais que vinha me buscar.

Alberto olhou pra mim e disse: “Hô sorte a nossa! ‘nos fudemos’ antes de seus pais chegarem… kkkkkkkk… Vamos, vou te deixar lá em baixo, fortinho sedução! Kkkk… Só num conte pra ninguém que somos bi.” ”Que é isso, gostoso tesão?! Quero bis disso tudo” repondi. “É claro que vai ter bis, tris, quadris, pernas, braços, pombas… kkkkkkkkkkkk…” Fui embora, mas fiquei olhando pela janela do quarto como quem diz “vem me pegar de novo” até que ele me deu uma piscadinha e eu enlouqueci esperando o “bis, tris, quadris, pernas, braços, pombas…” dele…

Bem, essa foi mais uma aventura minha… Assim que der conto do surubão que tive. Sei que v6 estão esperando. É logologo! Bjus… e boa gozada!!! Kkkkkkkkkkkkk…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.