Cai de boca no Uber

Esse conto aconteceu HOJE (e eu ainda estou em êxtase pelo que ocorreu). Sempre fantasio algo acontecendo com motoristas de aplicativo, mas raramente acontece alguma coisa. Por ser tímido demais, não sou tão ousado a ponto de cantar na cara dura alguém (muito menos avançar o sinal, afinal respeito é bom e conserva os dentes). Porém hoje foi um dia de muita sorte e vou relatar a vocês. Estava saindo do trabalho e resolvi chamar um Uber para casa. Não demorou muito e alguém aceitou a corrida. Sempre que aceitam, costumo olhar a foto pra ver

Sete Sensações Anestésico

se “dá para o gasto” e esse era um dos que davam rss .. Um homem maduro (não devia passar dos 45), cabelo preto levemente grisalho, uma cara de macho safado que só de lembrar, o cuzinho pisca loucamente. Chegou até mim, falou meu nome e entrei. Seguimos o caminho todo em silêncio, vez ou outra comentava algo sobre a tarde, sobre a pista e como o trânsito estava complicado. Até então, não levei muita maldade nele, mas olhei pelo retrovisor e ele me encarava (o que me deixou desconfortável de início, mas estava gostando). Passou, olhei novamente e ele me encarava. Fez isso umas 3 ou 4 vezes, até chegar ao meu destino. Em

nenhum momento investi nele (ou ele em mim), apenas as trocas de olhares. Cheguei ao meu destino e ele finalizou a corrida. Dei a ele o dinheiro e não quis o troco, ele agradeceu olhando mais uma vez para mim pelo retrovisor, me desejou um bom descanso e eu desejei um bom trabalho. Pensei “Droga. Alimentou em mim uma esperança e vai rolar nada de novo”. Desci e fiquei no portão fingindo pegar a chave. Ele andou com o carro até a esquina e parou. Parou e piscou o farol de ré do veículo, em chamando. Eu não estava acreditando que aquilo estava

realmente acontecendo, mas era real. Fez mais umas 2 ou 3 vezes e eu resolvi caminhar como quem não quer nada até próximo dele. Quando me aproximo do veículo, ele estava apertando o pau por cima da bermuda. Nessa hora, minha timidez tinha ido para o brejo rs. Entrei no carro novamente e ele perguntou:

– Tu curte mamar uma rola?
– Sim, bastante.
Ele deu partida com o carro e fechou as janelas do veículo. Paramos mais a frente um pouco da minha casa e ele abaixou o banco do carro dele, abriu a bermuda e colocou uma linda rola pra fora. Cara tinha uma rola grossa, mas não era grande. Era perfeita para cair de boca e mamar por horas. Um saco grande, com bolas lindas. Foi ele colocar a rola pra fora e eu abaixar na hora pra sentir aquele pau duro na minha boca. Comecei um boquete gostoso nele, engolindo aos poucos cada cm daquele membro e ele o tempo todo “isso, menino”, “que delícia de boca”, “tu gosta mesmo hein?”. Enfiava na boca e engasgava com a rola dentro, gemendo e fazendo ele gemer. Enquanto chupava, ele fazia carinha na minha cabeça e perguntava se eu gostava de dar o cu também. Respondi que sim, adorava (porém não rolou). Continuei mamando e ele me disse que demorava a gozar:

– Eu demoro para gozar mesmo.
– Não tem problema. Está uma delícia mamar você.
– Gostou da piroca?
– Muito. Quero todo dia.
Ele riu e falou:
– Safado. Para não, continua mamando essa piroca.

Comecei a mamar com mais vontade e nada dele gozar. Resolvi tentar algo que geralmente funciona: chupar o mamilo dele. Levantei a camisa dele, deixando o corpo de fora e os mamilos a mostra. Abocanhei um mamilo e alisei o outro enquanto passava a língua e ele tocando uma de leve. Intensifiquei a chupada no mamilo e ele gemia dizendo que estava muito bom e que estava quase gozando. Sai do mamilo e voltei a mamar aquela piroca, com ele gemendo e suspirando dizendo “toma esse leite, toma”, “abre a boquinha que eu vou gozar”. Enfiei o pau todo na boca e senti os jatos saírem e ele “caralho, que delícia!”, “tô gozando gostoso na sua boca”, “toma tudinho”. Como bom garoto, tomei todo leite dele e ele “porra, tu gosta mesmo de mamar hein?”. Respondi “muita coisa, tu não viu nada ainda”. Nos recompomos e ele foi me deixar novamente na porta de casa. Agradeceu a deliciosa mamada e agradeci também pela deliciosa rola, dizendo que queria mais e que na próxima ele ia comer meu cuzinho. Ele disse “com certeza, meu amigo. como com prazer”. Disse que passaria no meu trabalho qualquer dias desses. Estarei aguardando ansioso por esse momento e quando ele me comer, venho contar a vocês.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.