Dando para quatro machos sem buceta

Era para ser uma balada reservada, eu só conhecia a Carol (que foi quem me chamou), o lugar era meio caidinho, uma chácara e uma casa com móveis velhos. Mas tinha bastante bebida e e só tinha chegado uns caras, e nenhuma mina. Nem a Carol tinha chegado, já era de madrugada e sobraram bebidas e uns caras assistindo um filme pornô na tv velha e no video cassete!

Os caras dois negros e dois morenos, estavam tomando uns drinks e me juntei a eles assim que me despedi de uns caras que foram embora.

– Puta que pariu! Essa japa tá levando pica de todo mundo!

– Esse filme antigo é dos bons, mas não tem nenhuma buceta aqui pra gente comer!

– Nossa! Que festa miada!

– Comeria qualquer buceta!

– Mas se não tivesse buceta? Comeriam o que? – perguntei sem pensar.

– Um belo cuzinho – respondeu um.

– Duvido que alguém coma meu cu – disse eu desafiando.

Os caras se levantaram e me rodearam sem cerimonia, me encoxando e se despindo e me despindo, virou uma loucura de paus saindo pra fora, eu ficando pelado, eles ficando pelado. Era pau passando no meu rego e na minha mão! Paus grandes do caralho! Exclamei.

Chupei muito na roda que se formou em minha volta, ajoelhado, mergulhei de cabeça, e boca, nos cacetes vigorosos.

– Chupa putinha!

– Falei que esse viado chupava bem pra caralho!

– Huummm!

– Vou comer o cu dele!

O cara esfregou o cacete no meu cu, que sentiu a pressão daquele esfrega esfrega, senti as pregas cedendo, a pica entrando e a meteção começou.

– Tá duvidando agora viado!

– Não estou mais – respondi levando vara no rabo – estou no lucro!
– Toma no cu!

Dei, mas dei muito!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.