Dando pra um amigo de Infância

Me chamo Israel sou de Fortaleza, isso é mais um caso verídico q aconteceu… Na época com 26 e depois de ter minhas primeiras experiência, já estava ficando cada vez mais putinho, tava como de costume no Grindr, até que um carinha falou comigo e começou a falar que me conhecia e coisa e tal, só que ele mandou foto depois na hora eu gelei era o Italo meu coleguinha de infância e do colégio também, papo vai e papo vem, trocamos zap, nisso passamos o dia conversando e mandando nudes um pro outro e ainda sem acreditar no que

Sete Sensações Anestésico

estava acontecendo, ele não sabia de mim e nem eu dele, mas mesmo assim está conversando numa boa, aí marcamos de se ver a noite, ele veio de carro e fomos até uma rua deserta, nos beijamos como se fosse um casal de namorados, quando menos percebi já estavamos alisando o pau um do outro por cima da calça… O tesão nos dominou, ligou o carro e fomos ao motel mais próximo dali. Chegamos no quarto nos abraçamos e demos um beijo demorado, enquanto nos despimos…ele do mesmo biotipo do meu gordinho parrudo, quando segurei o pau dele e ficamos ali batendo uma pra outro o pau dele foi ficando duro, foi aí q eu percebi q era muito

mais grosso que o meu…putz, deitamos na cama e começamos a chupar um ao outro, ora eu e depois ele, até fazemos um 69, os 2 tinham chegado do trabalho nem deu tempo de tomar um banho aquele cheiro forte tava muito bom, ele chupava tão gostoso que não consegui segurar o gozo enchi a boca dele leitinho, nessa hora ele com a boca cheia me beijou me obrigando a

tomar minha própria porra, isso foi muito gostoso. Fiquei envergonha um pouco por ter gozado antes dele, mais aí ele disse pra eu relaxar e que isso acontece, então empurro ele na cama e continue chupando o pau dele, ele agarrava pelos cabelos fazendo eu engolir até o saco…era bem difícil, porque o pau dele era muito grosso, nessa hora ele observa pelo espelho no teto,

minha bundona de 4, e pede pra meter um pouquinho, na hora falei pra ele, pra começar devagar pois a ferramenta era bem grossa, ele coloca de 4 cospe na entrada, e começa a penetrar, quando menos percebi, ele enfia tudo de uma vez, eu apaguei por alguns minutos, foi uma dor extrema, quando recobrei a consciência, ele tava tentando me acordar, falei que tava tudo bem, então continuamos a foda, dessa vez passou lubrificante no meu rabo e no pau dele, foi colocando devagar, até eu me acostumar, doía mas dessa vez foi menos estava suportável, aí ele começa o vai vem, e aquilo já estava gostoso, pois já tinha acostumado meu anelzinho…

Mandei ele meter sem dó, sentia o saco dele bater com violência na minha bunda, pedi pra ele me chingar, ele me chamou de putinho, viadinho arrombado só não chamou de santo, tudo isso enqto metia com força aquele pau grosso no meu rabo, parecia um sonho, eu sendo enrabado pelo meu coleguinha de infância, ali de 4 sendo castigado pelo pauzão grosso dele, sendo fêmea daquele macho comedor de cu, ficamos horas trepando até ele anunciar que ia gozar, tirou do meu cu e gozou nas minhas costa, levei um banho de porra, depois desse episódio

ficamos 2 meses nos encontrando eramos fixos um do outro, mas tudo que é bom dura pouco, ele teve que mudar pra outra cidade a trabalho e eu caçando outros macho fudedores, ainda mantemos contato, ele falou que quando tivesse de férias viria a Fortaleza pra curtirmos juntos durante esse tempo, então até a próximo conto, espero que gostem, beijinhos na cabeça do pau…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.