Fazendo o Casado virar minha Putinha

A história que vou lhes contar é veridica e aconteceu em dezembro de 2016. Mudarei apenas o nome para preservar as identidades. Ademir é um moreno sarado de aproximadamente 1,75 cm, corpo atlético pelo trabalho pesado, trabalhador do campo e casado. Conheci Ademir através de um amigo que me passou seu contato. Marcamos de se encontrar em minha casa.

Na hora marcada ele chega, desço abrir o portão. Ele entra em casa pela porta da cozinha e sem trocarmos palavras ele já se abaixa e começa uma gulosa gostosa. Começou de leve, apenas passando a língua por toda a extensão do meu cacete sem contudo, usar as mãos. Era habilidoso e foi me levando a loucura. minha vontade era de já socar naquela boca até sentir a garganta daquele puto mas me contive porque aquele jogo tava me levando a loucura. Ele se levanta e ergue minha camisa e começa a lamber meu mamilos enquanto bate uma punha bem de leve apertando meu pau que a essas alturas parecia que ia estourar de tão duro. Começamos a nos despir e fomos para sala. Aquele tanquinho me fez viajar e acabei por abocanhar aquele pau gostoso. seu pau era reto e comprido e de uma cor morena bem bronzeada. Coloquei ele sentado do sofá, dei mais umas mamadas e ergui suas pernas para me deliciar naquele cuzinho. Bundinha durinha, toda depiladinha e cheirosinha. Comecei a dar linguadas no seu cuzinho enquanto ele gemia, se contorcendo de prazer. Cada metida com a língua era um gemido mais excitante que arrancava daquele putinho. Ele se levante, me joga no sofá se ajoelha na frente e começa a mamar novamente. Dessa vez com mais voracidade ainda. Engolia meu pau inteiro e ainda conseguia lamber as bolas com meu pau todo dentro de sua boca. Não aguento de tezão e levanto, coloco ele de quatro e comeco a brincar com meu pau na portinha de seu buraquinho. Ademir delirava e rebolava querendo sentir meu pauzão. Hora coloco só a cabecinha e tiro, dou umas batidas com meu pau naquele cuzinho, hora me abaixo e dou umas belas linguadas enquanto Ademir gemia alucinadamente que nem uma verdadeira putinha que era. Coloquei meu pai de novo e vagarosamente comecei a entrar naquele rabinho apertadinho e quente enquanto Ademir gemia:

– Isso, vai, coloca tudo…
– Aiiii que delicia seu puto gostoso

Mas eu querendo sentir cada centímetro daquele cuzinho colocava só até a metade aumentando a velocidade aos poucos. Estava gostando da brincadeira. Comeco entao a ir enfiando tudo. Socando, alternando movimentos rápidos e devagar, rápidos e devagar. Segurava firme na cintura de Ademir e, a cada período de tempo, socava com força dando umas tres ou quatro bombadas só para ouvir o estalo. Passo a mao em seu pau e Ademir estava com o pau durão apesar de estar com o cuzinho todo preenchido com meu mastro:

– Tá gostando puto?!
– Rebola na piroca do seu macho vai?!

Ademir rebolava loucamente e eu a cada passo dava umas cuspidas naquele cuzinho. Peço para ele mudar de posição. Ele se levanta, ajoelha e aproveita para dar mais uma chupada. dessa vez babava com vontade, engolia e cuspia no meu pau de forma a deixar todo lubrificado. Coloquei o safado na posição de frango assado e comecei a socar forte. Ele gritava, gemia se contorcia enquanto me chingava:

– Filha da puta,
– Me come vai,
– Come esse cu de macho casado

Coloquei ele no apoio de braço do sofá de forma que ele ficou com a bundinha em uma altura boa e da cintura pra cima deitado, mais abaixo, horizontalmente no sofá. Dessa forma eu podia ver o rosto daquele metido a macho casado fazer cara de putinha. Su pau nessa posição ficou a mostra. O safado aguentava todo o meu piru dentro e continuava com o pau duro. Era um belo pauzão. Aproveitei e, enquanto metia em seu cuzinho, conseguia chupar a sua pica. Coloquei meu pau todo dentro e comecei a mamá- lo. Cada abocanhada que eu dava em seu pau, seu cuzinho apertava meu pau. Parecia que ia engoli- lo. Derrepente, senti seu pau inchar, seu cuzinho apertou forte meu pau. O safado estava gozando:

– Aaaaiiii, vai!
– To gozando seu puto safado!
– Vai soca, soca tudo agora que quero gozar sentindo seu pau tudo dentro de mim
– Vai…..Delicia….

O safado gozou na minha boca. Segurei todo o seu leitinho tirei meu pau daquele cuzinho, e cuspi toda aquela porra dentro. Empurrei com meu pau tudo pra dentro e soquei com força, meu pau entrava e sai com facilidade. Se ouvia o eco das estocadas, meu saco batia em sua bunda com velocidade enquanto o puto apertava aquele cuzinho cada vez que meu pau entrava todo, não resisti e anunciei:

– Tö quase gozando, Ahhh vou GOZZZAAAA, tá vindo…..

Ademir rapidamente me interrompe, se levanta, pede pra sentar na aba do sofá, cai de joelhos e diz:

– Na minha boca
– Quero que goze tudo na minha boca

Dou uma leve punhetada, Ademir já passando a lingua na parte de trás do meu pau, anúncio:

– Tá vindo seu prëmio,
– Toma safada…Toma o leitinho do seu macho!

O safado engoliu meu pau e eu gozei tudo dentro de sua boca. Dava pra sentir quando ele engolia cada jato de porra quente que meu pau jorrava. Ainda olhando fixamente para mim, lambeu e limpou todinho meu cacete. Deu um beijo nele, levantou- se, se vestiu e foi embora sem trocarmos nenhuma palavra. Deitei no sofá aliviado, foram litros de porra, acabei adormecendo ali mesmo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.