Gostoso do Grindr

Olá pessoal, eu moro no interior de São Paulo. Tenho 25 anos, sou loiro, tenho 1.70 de altura. Não faço academia, sou magro naturalmente, mas tenho um bumbum modestamente bonito.

Sete Sensações Anestésico

Devido ao meu trabalho, precisei morar em outra cidade. Como gosto de privacidade, preferi alugar um apartamento e ir morar sozinho, assim poderia ter minha primeira experiência de morar sozinho e poderia ter mais privacidade para transar, do que dividir apartamento com alguém.

Entre os caras que fiquei, conheci o Lucas. Tinha a minha idade (24), era um moço de pele mais escura, olhos castanhos, cabelos raspados na máquina, magro, não era definido, mas tinha um corpo legal, de quem se cuidava. Conheci Lucas no Grindr. Conversamos por um dia, trocamos fotos, mas ele me mandou só uma, que não mostrava o rosto, mas mostrava o mais importante, o pau. Ele tinha um pau de um tamanho legal 18/19 centimetro torto para cima, um saco proporcional ao tamanho do pau, e uma quantia de pentelhos moderada, era notável que Lucas preferia deixar a depilação em dia.

Decidimos nos encontrar às 20:00 e sem atrasos, Lucas estava interfonando, liberei sua subida. Chegando no meu apartamento ele estava vestido com uma camiseta regata preta, um short tactell e um chinelo nos pés.

L: Cheguei!
Eu: Oi, pode entrar, fica à vontade. Quer uma água ou um suco?
L: Não, to de boa!

Fui conduzindo-o para o quarto, chegando lá, sentei na cama, prefiro ver a reação do cara antes de partir para o ataque para não constranger. Lucas foi tirando sua camiseta e chinelo, tive ali o sinal verde que precisava para dar início aos trabalhos.
Me aproximei dele beijando-o, puxando pela nuca enquanto ele já levou sua mão direto para minha bunda. Eu estava usando um short de elástico, desses de tactell e uma jock preta por baixo. Ele enfiou a mão por dentro do short e balbuciou enquanto nos beijávamos – Delícia!

Empurrei Lucas para cima da minha cama, subi em cima dele, sentado em seu pau, por cima do short, continuei beijando sua boca e rebolando no seu pau, ele correspondia o beijo quente, apertando minha bunda por dentro do short, me contraindo e apertando seu pau contra minha bunda. Terminei o beijo beijando o pescoço dele, e fui descendo, mamilos, axilas…
Fui tirar o short dele, mas antes não pude deixar de reparar nos pés dele. Eram lisinhos, unhas bem cortadas, pés macios, aparência de pés masculinos mas bem cuidados.

Sem pestanejar, meti a língua nos pés dele, desde o calcanhar até o dedão, lambendo e beijando o pé daquele moleque gostoso, que me olhava com cara de safado, chupei o dedão dele como se fosse uma rola vertendo pré gozo. Fui subindo lambendo as pernas peludas dele, até que desabotoei o short, e tirei, revelando uma cueca slip branca (meu ponto fraco são essas cuecas). Acariciei o pau dele por cima da cueca, dei mordiscadas, beijei, cheirei e tirei pra fora.

Não havíamos trocado nenhuma palavra, apenas nos olhávamos e entendíamos. No quarto só o som dos espasmos de tesão que estávamos tendo, e as respirações ofegantes. Comecei a lamber o pau de Lucas que já estava lambuzado pelo pré gozo, foi quando tive a confirmação que estava fazendo um bom trabalho.

L: Isso, chupa delícia!

Eu não respondi nada, não com palavras, apenas obedeci as ordens dele, colocando o pau dele pra dentro da minha boca de uma vez só, sugando e limpando o mel que escorria. Mamava o pau dele como se fosse o último, lambia, subia e descia, fazendo o contorno do pau com a língua, ora me dedicava em mamar só a cabeça, ora descia até a base, sentindo a cabeça do pau dele querendo invadir minha garganta. Lucas só consentia – Puta que pariu! Isso tá bom demais, não para nunca!

Continuei com o pau dele na boca, e fui me despindo, tirei meu short, ficando de camiseta e jock. Desci da cabeça do pau dele até as bolas em uma lambida. Lambi as bolas dele sem sugar, foi quando Lucas soltou seu gemido mais alto. Assustei com medo de tê-lo machucado, olhei para o rosto dele.

Eu: O que foi? Te machuquei?
L: Não, está uma delícia! Continua!

Com o consentimento de Lucas que estava tudo certo, voltei a mamar o pau de Lucas. Novamente desci até as bolas, mas dessa vez coloquei uma na boca. Lambendo e suavemente sugando, como quem lambe um pedaço de chocolate. Soltei e fui para a outra bola, suguei, coloquei dentro da boca e lambi… Lucas se contorcia e gemia.

Subi novamente para seu pau, onde mais uma vez mamei toda sua extensão e fui lambendo da virilha de Lucas até seus mamilos. Sentei dessa vez com o pau dele entre minha bunda, rebolando, piscando o cu no pau dele, olhando nos olhos dele consentindo que enfiasse seu pau no meu cu e ele entendeu o recado. O pau dele entrou em meu cu como nenhum jamais havia entrado. Eu estava tão excitado, que não senti nada além de tesão. Sentava cada vez mais no pau dele, no intuito de colocar tudo pra dentro, enquanto olhava a expressão de tesão. Quando percebi que Lucas estava todo dentro de mim, comecei a rebolar para me acostumar com o tamanho e me preparar para as estocadas.

L: Cavalga, vai!
Eu: Quer que eu sente no seu pau, quer?
L: Você já está sentado, quero ver ele entrar e sair, me mostra, seu cuzinho engolindo meu pau

Não tive como não obedecer o pedido dele. Agachado sob as penas com o pau todo socado pra dentro, comecei a subir e descer lentamente no pau dele, chegava próximo à cabeça, mordia o pau dele com meu cu e descia bem devagar… Quando decidi que havia me adaptado ao pau dele, decidi sentar. Deixei o pau dele atolado em mim, mas dessa vez, ao invés de me apoiar em minhas pernas, fiquei agachado, assim Lucas teria mais mobilidade com a cintura para me socar caso quisesse. Comecei a subir no pau dele com mais força, já não descia mais devagar, descia de uma vez, subia, mordia o pau dele com a rola, e descia novamente, até que ele começou a tomar controle da situação… Fiquei suspenso e quem comandou as estocadas foi ele. Deitado, socava com força, eu extasiado pelo momento, descia ao encontro da sua rola e atolava seu pau todo dentro de mim, rebolando…

L: Fica de quatro, quero socar no seu rabo empinado.

Saí de cima do pau dele, passei a mão no meu cu pra sentir como estava

L: Está com medo de ficar arregaçado? Ainda nem comecei…

Fiquei de quatro, com o rabo empinado, senti o cuspe dele escorrer no meu cuzinho e logo em seguida, sinto Lucas montar em mim. Passando os pés na frente do meu joelho e soltando seu peso todo em seu quadril, forçando cada vez mais enterrar seu pau no meu cu. Ficamos nessa posição por um bom tempo. Lucas enfiava e tirava seu pau do meu cu sem muita resistência.

Eu estava adorando senti-lo dentro de mim, Lucas não era de falar muito, mas seu corpo suado, seu toque era o suficiente. Ele saiu de cima de mim, virei de lado, dobrei uma perna contra meu abdomem, deixando a outra esticada oferecendo meu cu para Lucas

Eu: Mete assim!
L: Você quem manda!

Lucas veio, e enfiou seu pau em mim novamente, coloquei a mão em seu peito e admirava aquela delicia suando e comendo meu cu, ofegante ele me beijava e me fazia mamar seu dedo, que enfiava no meu cu junto com seu pau para mostrar o quão em suas mãos eu estava. Sem tirar o pau de dentro, Lucas me virou, me deixando de frango assado.
Me arreganhei pra ele, enquanto o vi todo em cima de mim. Me senti por completo tomado por aquele homem. Meu cu estava preenchido com sua rola, e seu corpo todo em cima de mim, me deixando imobilizado…

L: Deita em cima de mim, deixa eu bombar em você?
Eu: Claro!

Lucas deitou na cama, e eu fiquei de costas à ele suspenso em cima dele, ele encaixou seu pau dentro de mim, e iniciou a foda. Metia com toda a força que tinha, e eu imóvel, satisfazendo-o.

L: Vou gozar – Tirou o pau
Eu: Goza dentro – Peguei o pau rapidamente e coloquei dentro do meu cu de novo
L: Delícia, estou louco com esse seu rabo!
Eu: Então goza

Lucas aumentou a intensidade das socadas, puxou minha cintura contra ele, me fazendo sentar no seu colo, e gemendo…

L: To gozando, to gozando, to gozando!
Eu rebolava em seu colo – Isso enche meu cu de porra, me deixa todo lambuzado…

Quando Lucas terminou, me virou de lado, sem tirar seu pau de dentro, tocou uma punheta pra mim, falando putaria no meu ouvido

L: Isso, agora é sua vez de gozar. Goza com meu pauzão no cu, vai, solta o leitinho, morde meu pau vai, goza pro seu macho…

Ouvindo isso no pé do ouvido, e ele tocando uma pra mim, não deu outra. Labuzei toda a cama… Lucas pegou o gozo que saiu do meu pau, passou na minha boca e me beijou

L: Há muito tempo eu não gozava assim.
Eu: Sua pica é deliciosa, jamais vou esquecer dessa trepada.

Ofereci um banho, mas ele disse que já estava tarde, preferiu voltar para o hotel. Estava com um colega de trabalho e disse que saiu para dar uma caminhada, que ele estranharia caso ele demorasse a voltar.

No dia seguinte, entrei no app e a localização de Lucas estava 300 quilômetros da cidade que eu estava morando. Fiquei só com a lembrança daquela foda quente e da química que tivemos.

Obrigado por lerem esse conto. Tudo o que foi narrado aqui realmente aconteceu conforme todos os detalhes, apenas o nome eu alterei para manter a privacidade.
Quanto ao sexo, tomo minhas medidas preventivas e sempre visito meu médico.

Curtam e comentem, isso me anima à escrever mais.

Até logo 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.