Me realizei com meu novo padrasto

Homens maduros sempre mexem demais comigo. Peludos então, com cara de macho e jeito de macho me levam a loucura.
Meu padrasto é desse tipo. Grisalho, pêlos espalhados na proporção exata pelo corpo, um pau enorme e grosso que deixa a sunga dele suculenta sempre que deita na beira aqui da piscina. As vezes ainda o vejo dando aquela apalpada, quando estou à espreita.
Pois bem. Mas agora não preciso mais só espiar e não fazer nada além de me masturbar todos os dias pensando nele loucamente me fudendo, bebendo a porra dele.

Sete Sensações Anestésico

Eu sabia que bebida era o ponto fraco dele. Faz coisas que até o diabo duvida quando bebe. E o melhor: raramente se lembra do que faz.

Ficamos só os dois em casa ontem. Preparei caipirinhas pra ele, mesmo ele já estando na cerveja. Foi então que ele começou a se soltar e me perguntou porque eu não trazia meninas pra casa nunca.
Não pestanejei. Disse que minha praia é outra. Que gosta mesmo é de homens, de preferência maduros.
E ele soltou: “Já imaginava. Mas…maduros ? Tipo quem? ”
Tipo você, respondi.
Ele riu sem graça e disse que não curtia caras. Que nunca se quer teve esse desejo.
Eu disse a ele que é uma experiência que ele pode ter pra dizer depois se gosta ou não. Pra ele esquecer que estará com um homem e sentir apenas o prazer.
Ele sorriu sem graça novamente, mas não resistiu a dar uma apertada no pau, visivelmente duro em seu short sem cueca.
Fui ficando de joelhos lentamente e abaixei o short dele. Aquele mastro saiu apontando pra cima, com pêlos deliciosos e uma cabeça de cogumelo rosinha.
Passei a língua naquela cabeça gostosa bem devagar enquanto ele gemia baixinho.
Então ele pegou na minha cabeça e empurrou garganta a dentro aquela tora de uns 19 cm. Engasguei e continuei me deliciando com aquela rola dos meus sonhos.
Em dado momento ele gemeu tão alto de prazer que tive receio de algum vizinho ouvir.

Ele me levantou, me pôs de quatro no sofá e mandou bala.
Eu só sabia pedir pra meter mais fundo e gemer de prazer.
Batia na minha bunda, cuspia no meu cu apertado, batia na minha cara e me deixava louco cada vez mais.
Estávamos em êxtase os dois.
Eu senti os jatos de porra dele percorrendo minhas entranhas. Foi uma das melhores sensações que tive na vida.
Que homem! Que macho! Que caralho! Que foda!

Dia seguinte eu achei que ele não lembraria de nada, mas me parou no corredor pela manhã e implorou segredo.
Eu disse a ele que para manter segredo teria que me comer sempre que eu quisesse.
Ele topou!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.