Ménage com policiais

Certo dia, eu estava indo para a minha empresa no meu carro a toda velocidade quando ouço um barulho, parecia um carro de polícia, e era mesmo. O policial
mandou que eu parasse no acostamento, e como não queria confusão, parei. O policial passou a multa e quando ia me entregar, deu uma boa olhada em mim.

Eu pensei o que aquilo poderia ser. Ele disse que era melhor eu segui-lo até a delegacia. E eu obedeci. Ele entrou no seu carro e eu entrei no meu. Passamos
um tempo andando, quando paramos num lugar que não tinha ninguém. Foi a porta do meu carro e disse para eu descer. Mais uma vez o fiz. A desculpa era que
tinha que precisava me revistar, pois eu parecia com um bandido que era procurado e ele que tinha esquecido de fazer isso antes. Eu fiquei meio receoso
sobre isso, mas deixei pra lá. O policial começou a revistar-me normalmente, mas quando passou pelas minhas pernas, demorou um pouco mais que o normal.
Quando ele foi levantar a mão, acredito que de propósito, passou a mão no meu pau. Eu preferi pensar que era sem querer. Quando ele se levantou disse para
eu me virar de frente, e quando eu fiz isso, ele apertou o meu pau e depois me agarrou. Começou a me beijar, e eu até que estava gostando. Enquanto ele
me beijava, acariciava meu pau por cima da calça. Pouco tempo depois, ele desceu a cabeça e puxou o meu pau para fora. Primeiro ele olhou e elogiou o meu
pau, porque era bem grande, e depois o botou na boca e começou a chupar. Eu estava morrendo de prazer. Ele fazia movimentos circulares, mordiscava a cabeça
do meu pênis e o fazia com extremo prazer. Observei que o policial tinha um bumbum bonito. Pedi que ele ficasse de quatro. Ele atendeu ao meu pedido. Então
eu baixei a calça e a cueca dele e meti minha lingua no seu cu apertado. Ele gritava de prazer, queria mais, e dizia isso. Então eu peguei o meu pau e
guiei para o seu cu. Empurrei com força, porém devagar, para não machucar. Ele continuava a gritar e dizia que eu era muito gostoso e que estava adorando
isso. Eu fiquei fazendo um vai e vem louco no cu dele e também o masturbava. Ele ia a loucura. Quando eu enfiava todo o pau, ele apertava o cu, e isso
dava muito prazer. Propus que nós ficassemos de ladinho. Ele aceitou e fomos a posição sem que eu tirasse o pau do seu bumbum. Eu ia e vinha com tranquilidade.
Ele tinha um cu muito gostoso. enquanto metia o meu pau nele, eu o apalpava. Passava a mão no seu peito, na sua coxa, no seu pau. Em um momento, eu ouvi
outro barulho de carro de policia. Mais tarde eu saberia que aquele carro apareceu por que o Rogério (o policial) não respondia aos chamados, e como precauçao
contra algum crime, eles localizaram o foram buscar ele. Quando o Mario (o outro policial) apareceu, eu me assustei e tratei de me afastar e me cobrir
com as minhas roupas. Ele disse que não se preocupasse, pois ele já comia o Roger a muitos meses, mas ele só se surpreendeu porque achava que o mesmo não
poderia fazer aquilo com um “preso”. Enquanto nós conversavamos, o Rogério ficava carente de pau, e batia uma punheta e metia os dedos no cu. Ele convidou
Mario a meter o pau no seu cu, pois ele já não aguentava mais esperar. Mario tirou as calças, foi a posição em que estavamos quando ele chegou e meteu
o pau no seu cu, enquanto eu olhava e me masturbava. Os dois gritavam, se beijavam, se acariciavam, faziam de tudo. Poucos minutos depois, eu me aproximei
e comecei a alisar o bumbum do Mario, que tambem era muito bonito. Introduzia dedos e ele adorava. Propus que nós fizessemos um trenzinho. Eles aceitaram.
Roger ficou de quatro, na frente, Mario colocou o pau no buraquinho do Roger e eu no dele. Faziamos um vai e vem muito maluco. Aquela posição era inédita
para todos nós, mas parecia meio dificil. Mario disse que se nós deitassemos no chão, ficaria bem mais fácil. Continuamos na mesma ordem, mas agora, deitados
de lado. O que parecia ter mais prazer era Mario, pois quando ele ia, botava seu pau no cu do Roger, e quando voltava, seu bumbum batia nos meus testículos,
com todo o meu pau dentro dele. Nós nos apalpavamos enquanto comiamos um ao outro. Eu botava a mão no bumbum e nos testiculos do Mario, que botava a sua
no meu bumbum e no pau do Roger. Eu já não aguentava e ia gozar. quando disse isso eles pediram que eu gozasse em suas faces. Eu disse que eles se abaixassem
na minha frente. Eu comecei a bater uma punheta e eles acariciavam o cu e o pau do outro. Quando gozei, molhei suas caras completamente e como não podiam
voltar para o posto policial assim, eles lamberam um o rosto do outro até não haver mais nenhuma gota do meu esperma. Mas eles queriam mais. Eu me sentei
e eles começaram um sessenta e nove. Eles se chupavam e acariciavam um ao outro, até que eles gozaram, ao mesmo tempo, um na boca do outro. Aquela dupla
era louca. Depois disso, nós nos vestimos e marcamos de nos vermos mais vezes, e até hoje fazemos muitas loucuras sexuais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.