Meu vizinho mais velho

Meu nome é Cris, hoje tenho 30 anos mais essa historia aconteceu quando eu tinha por volta de uns 13 anos. Nunca fui uma criança de ter tanta intimidade com a galera da minha idade, gostava de conversar e trocar idéias com adultos. Quando eu tinha 13, 14 anos um pré adolescente bem encorpado, branquinho cheio de tesão. Frequentava a casa da minha vizinha uma mulher casada mãe de um meninho de de uns 5 ou 6 anos, passava horas na casa dela conversando vendo TV convivia assim com o marido dela tmb, o Tonhão uma homem de uns 35 anos, alto, fortão estilo corpo pai de família, forte com uma barriga saliente, pelos no peito que desciam até sua barriga e faziam um delicioso caminho pra dentro dos seus shorts sempre surrados.

Sete Sensações Anestésico


A casa era humilde, cozinha, banheiro e um quarto como eramos íntimos era comum eu ficar no quarto que era tmb uma sala conversando com ele, enquanto sua esposa realizava afazeres na cozinha.
Era óbvio o desejo que ele me dava o cheiro de macho, sempre sem camisa, o jeitão brincalhão de tiozão dele me alucinava, ele sempre dava tapas na minha bunda brincando, ou me beliscava nas pernas e na barriga eu querendo tirar uma casquinha retribuia as brincadeiras para poder passar a mão nele.
Um um lá estava eu novamente papiando com ele em seu quarto, sala sua esposa na cozinha já era fim de tarde quase escurecendo, o quarto estava impregnado com seu cheiro de perfume barato misturado com o cheiro de macho da sua pele, a luz de péssima qualidade passará a iluminar o quarto, não me lembro bem do que falavamos e riamos em um certo momento ele me disse para sentar na cama onde ele tava deitado, meu coração disparou a tensão sexual no ar era evidente, me sentei conversamos mais um pouco ele se aproximou com o corpo, meu pau parecia que iria explodir de tanto tesão, já não conseguia mais mantém o nexo na conversa. Ele se aproximou mais, arrepios tomaram conta do meu corpo o seu cheiro me deixava cada segundo mais excitado, ele pediu pra eu apagar a luz sem excitar apaguei no interruptor que ficava em cima da guarda da cama, pra isso nossos corpos se aproximaram mais, então ele falou

com uma voz masculina e sexual fica a vontade deita ae, novamente atendi seu comando e me deitei do seu lado, sem raciocíniar que sua esposa estava no cômodo ao lado, me deitei e fiquei meio de costas pra ele, ele se aproximou encostou seu pau duro na minha bunda e sussurrou no meu ouvido “quer segurar um pouco”, sem raciocionar coloquei minha mão pra trás dentro do seu shorts tirei aquela rola mediana grossa e cheia de pêlos pra fora comecei a puneta-lo, ele sussurou novamente vc sabe oq ta fazendo disse que sim em um grunido minha voz mal saia com toda aquela adrenalina e tesão, masturbei aquele macho que suspirava um ar quente em meu pescoço até que senti um líquido quente em minha mão seu pau pulsava como um coração acelerado, gozei quase que ao mesmo tempo sem ao menos me tocar, ele falou baixinho vai no banheiro se limpar, me levantei e fui para minha casa desnortiado com tudo oq tinha acontecido. Nossas histórias continuaram por anos até meus 19, 20 anos mais isso fica pra outro conto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.