Minha segunda vez dando o cuzinho

Eu já tava querendo isso e tava até conversando com ele pelo zap, então, na vez w contei anteriormente no YouTube, botei outra meta de likes pra contar sobre a segunda vez com ele. Quando vi que tinha passado a meta dos likes de novo, tava na hora de cumprir o prometido. Disse que queria me encontrar com ele e combinamos de ser numa praça perto da casa dele. Chegando lá, vi ele me esperando num banco. A gente ainda não sabia muito bem como agir

depois do que houve noite passada, aí tava aquele clima de silêncio, então eu tomei a iniciativa. Enfiei a mão no bolso do calção dele perguntando se cabia muita coisa lá, mas era só um pretexto pra pegar no pau dele que já tava um pouco duro e terminou de endurecer na minha mão. Eu até falei:”Hum, parece que já tem algo grande aqui…” quando já tava bem duro. Ele logo entendeu e fomos pra casa dele. Os pais dele ainda não tinham chegado, então ainda tinhamos a casa só pra nós. Dessa vez, só deu tempo de fechar a porta e as janelas pra começarmos a nos pegar na sala mesmo. Ele já veio me encochando e esfregando aquele pau duro que eu já conhecia bem no meu rego enquanto chupava o meu pescoço. Fomos tirando a roupa ali mesmo e jogando no sofá, até chegarmos pelados nos beijando no quarto dos pais dele. Lá estava eu de novo, despido junto daquele macho que estava prestes a me enrabar outra vez com seu pauzão. Como estávamos sozinhos, não era preciso fechar a porta do quarto.
Me antecipei e empurrei ele na cama fazendo-o deitar de barriga pra cima, deixando o pau apontando pro teto. Nem pensei 2 vezes antes de cair de boca. Como já tinha feito isso antes, não me engasguei dessa vez e, pelo jeito que ele gemia, eu tinha ficado melhor nisso. Dei um belo trato da cabeça até a base e também lambi bastante as bolas. Depois de mamar por uns 10 minutos, já saía aquela babinha do pau dele, então sabia que tava na hora. Me posicionei de quatro pra ele que já tava com o lubrificante na mão. Passou bastante na minha entrada, deixando bem lisinha, mas quando vi que ele ia botar uma camisinha, disse que não. Ele perguntou porque e eu disse:”Dessa vez eu quero na pele pois confio em você.” e realmente confio. Não tinha nada a temer por que o conheço, então ele atendeu ao meu pedido e botou a camisinha de volta no criado mudo e começou a lustrar a rola. Sem a camisinha e com o lubrificante, ela parecia ainda mais grossa.
Enquanto lubrificava a pica, sem avisar, ele meteu a lingua no meu cu e eu quase fui a loucura. Olhar pra trás e ver a cara dele no meio das minhas nádegas enquanto vejo seu pau duro se preparando pra entrar em mim é uma visão que vou demorar a esquecer. Depois de me deixar molinho com aquela língua, seu pau já tava pronto. Então ele segurou na minha cintura com a mão esquerda e com a direita posicionou a pica na entrada fazendo um movimento de cima pra baixo, como se fosse um pincel. Era como se me provocasse, querendo que eu pedisse por aquilo. Não aguentei, olhei pra trás e pedi:”Por favor K, mete em mim…”
Assim que falei isso, senti a cabeça forçar a entrada. Mesmo com o lubrificante, ainda doeu um pouco e logo que a cabeça passou, o K parou esperando eu me acostumar. Dessa vez, não precisei esperar muito e logo fiz sinal que continuasse enfiando. Sem a camisinha, podia sentir cada centímetro daquela pica. Podia sentir nitidamente as veias pulsando dentro de mim e quando percebi, já estava tudo dentro. Até fiquei surpreso pela facilidade se comparado à primeira vez. Depois de ficar uns segundos parado com ela enfiada até a base, o K foi puxando até quase sair tudo e depois enfiou de volta devagar me deixando doido. Assim que enfiou até a base de novo, me segurou pela cintura e começou a meter. No começo devagar, mas logo estava tão rápido e conpassado que o som da virilha dele batendo na minha bunda já ecoava pelo quarto. Como tinhamos fechado as janelas, não precisávamos noa preocupar com o barulho, então isso significava que eu podia gemer a vontade. Eu pedia:”ISSO K… FODEEEE… ISSSSSSOO… METE NESSE CU… AINNNN…” enquanto ele metia sem parar. O suor já começava a escorrer pelo nosso corpo. Depois de me comer de quatro por uns 15 minutos, resolvi mudar de posição e, como já tinha visto isso em filmes, quis cavalgar ele.
Eu disse:”Deita aí…” fazendo ele deitar de barriga pra cima com o pau em riste, então fiquei em pé na cama deixando ele entre minhas pernas e fui descendo até encostar a cabeça da rola dele no meu cu. Com uma mão posicionei bem no centro e fui descendo até entrar tudo. Me apoiei com as duas mãos no peito dele e fui subindo e descendo o quadril, iniciando a cavalgada. Comecei lentamente até estar literalmente pulando no colo dele com a pica enfiada. Assim que acelerei o ritmo, ele começou a dar tapas na minha bunda fazendo eu sentir ainda mais tesão. Eu rebolava e sentava enquanto sentia cada centímetro do seu pau entrando e saindo de mim. Não sei o que é melhor dessa posição: o fato de eu controlar o ritmo da foda com o meu cu ou poder ver a cara de tesão dele enquanto quico no seu pau.
Mesmo com o quadril doendo de tanto rebolar e quicar nele, não conseguia parar e os tapas dele só me davam mais tesão. Fiquei por uns 20 minutos subindo e descendo no pau dele, até não aguentar mais e pedir pra mudar de posição. Ele então se levantou, me pegou pela cintura e, sem tirar de dentro de mim, me virou me deixando de frango assado. Acho que até agora é a posição que mais gostamos. Assim q me colocou na posição, puxou minhas mãos deixando em volta do seu pescoço enquanto eu fechei as pernas atrás da cintura dele. Ficamos nos olhando por uns segundos. Minha rola dura encostava na barriga dele, enquanto a dele pulsava dentro de mim. Dava pra sentir o tesão no ar e assim que nossas bocas se tocaram, ele voltou a meter freneticamente enquanto nossas línguas se enroscaram em um beijo muito gostoso. Tudo que se ouvia nesse quarto era o som das suas metidas em mim e meus gemidos abafados na sua boca. Me abracei completamente a ele e passei a mão em suas costas enquanto sua pica brinca dentro de mim. Já estava sendo 10x mais intenso que da primeira vez, mas a cereja do bolo ainda tava por vir. Ele ficou metendo e me beijando desse jeito por uns 20 minutos sem parar, então ele disse que tava perto de gozar e eu pedi:”Goza dentro de mim, K… Me enche de porra! Aiiiiinnnn…” enquanto olhava no olho dele. Ele foi acelerando os movimentos e indo cada vez mais fundo, até que senti um prazer diferente. Ainda mais intenso e forte quando ele acertou uma certa área lá dentro. Não tenho certeza, mas aquilo era extremamente bom e a medida que ele acertava essa área, eu chegava mais perto de gozar.
Entrei no pré-gozo totalmente enlouquecido de prazer. Nada se comparava a aquilo! Ele avisou que ia gozar e logo em seguida senti pela primeira vez aquela pica despejar porra dentro de mim. Foi um jato bem forte e quente, depois outro e mais outro. Foram uns 5 jatos de porra bem forte e quente dentro de mim. Não aguentei também e gozei na mesma hora sem nem precisar tocar no pau. Foi o orgasmo mais intenso que já tive até hoje. Sentir meu pau se contrair pelo gozo sem nem tocar nele enquanto aquele monte de esperma do K entrava em mim foi indescritível. Foi tudo tão intenso que ambos desabamos. Minha pernas nem se mexiam e ele caiu sobre mim. Estávamos totalmente suados e exaustos, mas eu garanto que valeu a pena cada segundo.
Ficamos descansando sem falar nada por um bom tempo. Ele então rompeu o silêncio e disse:”Puta que pariu, isso foi ainda melhor que ontem…” ainda meio ofegante. Eu respondi:”Sim, sem dúvida nenhuma disso…” passando a mão nas costas dele e nos cabelos. Só tinhamos força pra trocar uns selinhos ali sem se mexer. Depois de mais uns minutos, conseguimos levantar e ir tomar um banho. Como já estava mais acostumado, dessa vez ele me comeu no chuveiro de pé mesmo até gozar na minha cara. Foi a primeira vez que provei sêmen. Tem um gosto meio salgado, mas não achei ruim. Assim que terminamos de nos lavar, voltamos pro quarto. Liguei pra minha mãe e disse que vou passar a noite. Só “passar a noite” porque dormir vai ser difícil. No momento que escrevi isso, tava pelado, deitado de bruços na cama dos pais dele enquanto ele tá no banheiro se preparando pra vir deitar. Os pais dele voltavam no domingo de tarde, então tive que sair de manhã.

Minha conclusão sobre essa segunda vez: INESQUECÍVEL. Foi 1000 vezes melhor que da primeira vez. Com certeza que vou dar pra ele de novo, mas isso eu posto depois. Comentem e digam o que acharam. Beijos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.