O amigo do meu irmão

Hoje vou contar, sobre um amigo do meu irmão mais velho…
vou chama-lo de Edu, moreno, malhadinho (jogava capoeira e lutava judô), 1,68 cm, e um pau de 17cm…
Bom… Edu era nosso vizinho da quarta casa, ele e meu irmão juntamente com outro meninos
viviam em frente a nossa casa, conversando besteiras…
eu sempre ia na casa do Edu para brincar com a irmão e a prima dele,

Sete Sensações Anestésico


pois por eu ser muito mais novo e na minha rua não ter garotos da mesma idade, costumava
brinca com as meninas da rua mesmo, mas nada afeminado.
depois de um tempo com as frequentes idas dele em minha casa, acabamos que começar a brincar
e também por ele ser bom em algumas matérias escolares, eu geralmente tirava algumas duvidas com ele

mesmo sem meu irmão está em casa, ele ia lá, até mesmo para ficar na sala assistindo
e eu sem malicia alguma e ele também, começamos a tirar brincadeira de luta, já que ele lutava judô e capoeira,
então temos um quarto em nossa casa que não usávamos e inclusive era meio escuro, então fomos para lá
começamos a dar golpes de luta de verdade e como eu era muito novo eu sempre perdia, isso durou muito tempo,
quase um ano a gente nessas brincadeiras, era normal, ele entrava na minha casa me dava um tapa na cabeça
e corria para o quarto e eu ia atras pra descontar e rolava a luta.

até que em um dia, ele me deu um mata leão, eu não tava conseguindo sair, então eu joguei ele contra a parede
e minha bunda ficou pressionando o pau dele, até ai nada de mais, dei os três tapinhas de desistência e ele me soltou
depois que terminamos eu lembrei do pau dele que eu havia pressionado com a bunda, e fiquei pensando;
“será que curtiria?”, mas não investi nos dias seguidos…
só que depois de um mês eu decidi arriscar, o que poderia me acontecer,
era apenas ele deixar de brincar comigo ou me dar um belo de uns socos, mas arrisquei
no natal de 2004 ele chegou na minha casa a tarde, lutamos e na saída dele,
segurei no pé dele, pois ele havia me derrubado, e ele tentando sair,
acabei cutucando a bunda dele.

ai ele disse; sai viado, oushi… ai partiu..
pensei que ele não viria mais, só que não, ele veio no dia seguinte, brincamos normalmente,
o no final do ano, todos do lado de fora da casa, ele entrou e me viu deitado de bruços, sentou em minhas costas
segurou minhas mãos e começou a me dar dedadas, dizendo que era pra descontar, e saiu… blz
continuamos no ano seguinte as mesmas coisas… mas dessa vez eu iria investir mesmo
2 semanas depois no final do ano, depois de varias brincadeiras, eu decidir tentar,
quando ele me deu um mata leão, eu comecei a me esfregar no pau dele, mas ele não fez nada
ai eu disse; Edu, me come…
ele respondeu; não
mas ele não me soltou, e eu senti que por traz do não ele tava querendo,
então fui baixando minha mão pela barriga dele, e ele foi me soltando
coloquei minha mão dentro do short dele, e peguei o pau que estava meia bomba…
me abaixei e coloquei pra fora, e comecei a chupar
ele começou a gemer baixinho, segurou minha cabeça e começou com o movimento de vai e vem
nossa foi muito bom, o pau dele era muito bom, os pelos pubianos aparadinhos,
e um cheiro gostoso de pica…
chupei muito, as bolas gostosas dele, lambia muito aquele pau gostoso, a cabeça grande e o gosto maravilhoso,
até que ele começou a bombar minha boca como se tivesse comendo, os movimentos eram mais fortes
e mais rápidos, foi quando eu sentir o pau dele inchar e jorrou litros de porra na minha boca,
encheu minha boca eu cuspi tudo fora, e chupei ele de novo, pra deixar tudo limpinho.
ele guardou o pau e pediu distrição, eu disse relaxa…
no outro dia ele voltou e continuamos a brincadeira, ele não aguentou e queria que eu chupasse ele de novo
daí fomos para o banheiro e comecei a chupar ele de novo, e depois de um tempo eu pedi pra ele me comer
então ele me colocou contra a parede e começou a enfiar o pau (sem capa mesmo, errado, mas fazer o q),
eu sentir muita dor, (pois eu nunk tinha dado para u homem de verdade, até então só havia feito
com garotinhos da minha idade, que o pau ainda tava se desenvolvendo, e não fazia nem cocegas)
ai como ele percebeu que eu não estava aguentando, ele foi com mais calma, e conseguiu colocar tudo
então começou com os movimentos, mas no meio de tudo eu pedi para ele parar, pois eu não tava aguentando
ele parou e disse que depois tentávamos de novo e mandou eu chupar ele,
obedeci e cai de boca, chupando bem melhor que antes, quando ele ia gozar, ele mandou eu fechar a boca
pra gozar na minha cara, me lambuzou toda a cara, esfregando o pau melado, uma delicia…
já na terceira vez a casa tava com movimento, mas ele nem ligou, entrou e passou direto para o quarto
olhou e não me viu, eu estava no banho, ele percebeu que era eu, bateu a porta e pediu pra entrar
nossa que loucura, a casa com gente e ele fez isso, pensei comigo, se ele entrar e depois que eu sair do banho
todos virem ele saindo também do mesmo corredor, tô fudido…
mesmo assim deixei ele entrar, ele abaixou a roupa e eu fui correndo chupar, depois ele me colocou contra a parede de novo
e começou a enfiar o pau, com jeitinho, tudo dentro ele começou a socar, fui ao delírio, comecei a gemer baixinho
e ele socando cada vez mais forte, tínhamos que ser rápidos, então ele segurou mais forte minha cintura
com estocadas fortes, parecia que tava entrando até as bolas, então ele dá a ultima estocada e goza muito dentro de mim
tirou o pau e ficou sarrando… baixei e chupei gostou, e ele gozou mais uma vez… então ele saiu do banheiro,
e eu voltei para o banho…
nossa sabe aquele ditado amor de pica, onde bate fica, então não foi bem o que me aconteceu, ele foi muito bom
todas as vezes, (claro que depois conto mais) mas não era a pessoa na qual eu queria ter um affair top,
apesar que foi praticamente o que tivemos, durante um ano.
depois eu conto mais sobre outras vezes com ele, que foram loucas…

votem e comentem… bjs na pik de cada um

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.