O pastor também quis me comer

Como já disse nos outros contos, sou casado, tenho 34 anos, loiro, 1,80m de altura, 77 Kg, 19cm, boa pinta e discreto, moro em São Paulo. Num dos contos anteriores relatei como o pastor de jovens Samuel tirou minha virgindade quando eu tinha 26 anos, na época ele tinha 35 anos.

Depois da primeira vez, toda semana nos víamos, as vezes mais de uma vez por semana, e em todas elas o pastor Samuel me currava gostoso.

Um dia, estranhamente, o pastor de adultos, que se chama Marcos, com qual eu possuía pouco contato me telefonou perguntando se eu podia ir até a igreja para falar com ele. Achei estranho, mas combinamos o horário e fui para a reunião no gabinete dele.

Quando entrei ele trancou a porta, disse que o assunto que tinha pra falar era delicado, mas que poderíamos falar abertamente que nossa conversa morreria ali mesmo.

Ele comentou que já há algumas semanas estava aconselhando o pastor de jovens Samuel, que teria confessado a ele que estávamos mantendo relações sexuais praticamente toda semana. Disse que não estava ali pra julgar nenhum de nós dois, e que ele nem tinha condições de avaliar a situação, pois, ele mesmo nunca tinha feito sexo anal, nem com homem e nem com mulher.

Ele me perguntou como eu me sentia transando com o pastor Samuel toda a semana, eu respondi que enquanto transavamos sempre sentia muito prazer, mas que depois que gozava sentia culpa, mas logo os hormônios faziam com que a culpa ficasse menor e que eu sentia o desejo de transar loucamente com ele novamente.

Ele me disse que o pastor Samuel relatava algo muito parecido, ele ficou muito curioso, que as vezes ele até se excitava com as histórias que estava escutando, ainda mais porque sua esposa estava em visita à parentes noutro estado fazia 3 semanas, confessou que inclusive naquele momento ele estava excitado.

Eu fiquei surpreso com o que escutei, disse que não estava entendendo o objetivo da conversa, ele se levantou, se posicionou atrás da minha cadeira encostando o pau duro nas minhas costas, e perguntou baixinho no meu ouvido se ele tinha chances comigo.

Eu disse que estava confuso, mas que a ideia me excitava, foi a deixa pra que ele tirasse o pau pra fora, me espantei com o tamanho e grossura, até entendi porque ele nunca tinha comido um rabo antes.

Sentado na cadeira, com ele em pé na minha frente, comecei a chupar o pau dele, com dificuldade, pois, realmente era grande. Pouco tempo depois eu fiquei em pé, tentei beijá-lo, mas ele não deixou, me virou de costas, abaixou minha calça e começou a dar tapas e pegar na minha bunda.

O pastor Marcos tinha 47 anos, era branco, tinha por volta de 1,8m de altura, uns 72Kg magro e eu tinha acabado de descobrir que era pauzudo.

Ele se abaixou, abriu minhas nadegas e começou a chupar meu rabo, e safado sabia como linguar gostoso. Deitamos sobre o tapete do escritório, enquanto ele chupava meu rabo, com dificuldade eu chupava o pauzão dele.

Num determinado momento ele pediu pra eu parar de chupar o pau dele, senão ele ia gozar na minha boca, e que ele queria comer meu rabo pra ver se era verdade tudo o que o pastor Samuel andava falando pra ele.

Ele me pediu pra ficar de 4 que ele iria me comer, mas eu disse pra ele que o pau dele era muito grande, e que como ele nunca tinha comido um cú, era melhor que no começo eu sentasse nele, para ter o controle. Ele concordou, ficou deitado no chão, posicionou o pau pra cima, chupei o pau dele mais um pouco, deixando bem babado, cuspi nos dois dedos da minha mão, me lubrifiquei, me posicionei em cima dele, forçando meu rabo contra aquele pauzão, quando a cabeça entrou ele me rasgou, doeu bastante, mas parei por um instante, depois fui rebolando e engolindo cada centímetro daqueles 22cm grosso.

Quando engoli todo o pau dele com o rabo, fiquei parado por um tempo, para meu rabo acostumar, depois comecei a cavalgar devagar, o pastor Marcos urrava de prazer, num determinado momento ele começou a bombar gostoso, eu me inclinei sobre ele apoiando as mãos sobre seu peito, depois deitei um pouco majs e investi num beijo, desta vez timidamente correspondido.

Ele estava muito afoito nas estocadas, logo começou a anunciar que ia gozar, eu também estava muito excitado, comecei a me punhetar, quando gozei, ao sentir meu cú piscando no pau dele, ele urrou, se tremeu todo e encheu meu rabo de porra.

Depois que gozamos o silêncio tomou conta da sala, ele foi para o banheiro se limpar, fui atrás pra me limpar também, mas não dissemos uma palavra um ao outro.

Nos vestimos em silêncio, então, ele me perguntou, o que eu tinha achado. Eu disse pra ele que gostei, e perguntei o que ele achou, ele me disse que gostou bastante e que gostaria de repetir mais vezes.

Ele me perguntou se eu gostei mais de dar pra ele ou para o pastor Samuel, eu disse que não tinha comparar, pois, já tinha transado varias vezes com o pastor Samuel e com ele uma única vez. Disse que meu lance com o pastor Samuel estava cada vez mais gostoso, que a cada ter para ficava melhor. Então, o pastor Marcos me disse que com ele seria igual, que bastava marcarmos mais vezes.

Por fim, ele me pediu para não falar para ninguem sobre o que aconteceu ali, me fez prometer que não falaria nem mesmo para o pastor Samuel.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.