O Servente de pedreiro

Eu morava com a minha mãe num apartamento pequeno aqui em Florianópolis, mais precisamente no continente. Pra quem não sabe é assim que nós dividimos aqui, por região entre ilha (Floripa capital) e continente, e faz um mês que nos mudamos, essa pandemia estava muito estressante pra viver em um ap.
A casa nova, óbvio, precisava de algumas reformas e para isso contratamos uma empreiteira e semanas seguintes estava chegando uns caras aqui pra obra.

Sete Sensações Anestésico


Confesso que me passou várias coisas na cabeça e com a minha mente muito fértiu eu deixava a imaginação rolar mas pra minha tristeza só ficou um pedreiro e ele era muito feio então deixei todo e qualquer desejo oculto de lado.
Para a minha surpresa, um dia depois de começar a fazer algumas coisas aqui o único pedreiro que estava aqui falou que era muita coisa e que precisaria de um ajudante e acionou a empreiteira para que pudesse chamar um amigo pra dividir a obra.

Acordei tarde e minha mãe já estava fazendo as coisas, ouvi um barulho de muro quebrando e quando olhei pela janela tinha um outro cara no meu quintal. Esse cara era diferente do pedreiro, ele era mais jovem parecia ter uns 21 anos, pele queimada, umas tatuagens feias dessa que se paga bem barato usava uma bermuda de tactel que quando se movia dava pra ver a forma do seu pau, uma camiseta suja de cimento e um cigarro no canto da boca. Ele não era bonito mas me atraiu de uma forma que eu nem sei explicar.
Comecei a fazer as minhas coisas dentro de casa e volta e meia dava umas olhadas pela janela e o via lá e comecei a ficar muito inquieto, eu queria ver aquele homem sem roupa. No meio de da tarde lembrei de uma infiltração num cantinho em cima da minha cama e fui até ele para perguntar se era possível fazer alguma coisa

Eu: Oi, Roger, né? Cara precisava ver contigo se tu pode ver uma infiltração no meu quarto e se tem como fazer algo lá.

Dito isso, segui em direção ao meu quarto e ele veio junto. Minha cama fica exatamente no meio do quarto encostada na parede, num lado dela tem meu guarda roupa e no outro lado tem um espaço pequeno onde só cabe uma pessoa, Eu estava sem camisa e com um short de futebol sem cueca, apontando para a infiltração subi na minha cama para mostrar melhor onde era, senti que ele parecia um pouco nervoso mas segui com meus planos. Desci da cama pra

pegar um lápis e marcar onde eu gostaria que eles fizessem algo, quando fui passar por ele ele se encostou na parede pra eu passar, virei de costas e passei com a bunda no pau dele que estremeceu mas fingi que nada aconteceu, quando voltei com a caneta fiz a mesma coisa mas dessa vez senti algo duro embaixo da sua bermuda de tactel, ele seguia muito nervoso e eu fingia que nada era nada. Subi na cama para marcar a parede mas me desequilibrei e ele prontamente me segurou só que uma de suas mãos foi direto pra minha bunda com um dos dedos quase encostado no meu cuzinho.

Eu já estava tranquilo, mas ele seguiu com a mão em mim me “ajudando” para não cair. Fui marcando as coisas na parede e conversando com ele e sua mão na minha bunda até que em um momento sinto seu dedo mexer e passar no meu cu, não disse nada apenas desci da cama.
Ele disse que iria passar uma lista de materiais, então peguei uma folha que estava na cama e comecei a escrever.

Me inclinei pra frente para escrever e ele foi para próximo da parede ver melhor a infiltração, ficando exatamente atrás de mim só que se espremendo na parede para não me tocar.
Notando mais aquela chance aproveitei que já estava inclinado e dei uma empinada na bunda colocando um pouco mais pra trás e me encaixando perfeitamente no seu pau que se mostrava duro como ferro. Dei umas mexidas leves enquanto escrevia, ouvia sua respiração acelerada, até que ouvimos o outro pedreiro o chamar, senti que ele deu um salto, saiu de trás de mim e foi ver o que era.

Ali eu tinha percebido que algo rolaria com aquele garoto. Próximo ao horário de ir embora fui dar um café pra eles, olhei sua bermuda e tinha uma mancha bem na área do pau dele que devia ter babado muito que vazou na cueca.
No dia seguinte minha mãe iria no médico, como era fechamento de semestre na faculdade eu fui dormir bem tarde, tipo umas 5 da manhã, os pedreiros seriam recebidos pela minha mãe e quando eu acordasse iria acompanhar o que fosse preciso mas não consegui acordar.
Já era talvez umas 8 da manhã quando ouço ao longe um barulho no meu quarto mas eu estava muito cansado para identificar se era sonho ou real então segui dormindo. Então sinto que alguém está me tocando mas ainda não consigo identificar se era real, eu sempre durmo de cueca e nesse dia em especial eu estava com uma dessas slim bem pequena, os toques em mim não param e cada vez mais eu noto que não era sonho, começou no meu pé, puxou meu lençol e agora tava subindo pelas minhas coxas, minha cama balançou um pouco como se alguém subisse nela então eu ouço um barulho de velcro e na sequência uma pressão sobre mim, tento me levantar ainda sonolento pra entender o que estava acontecendo mas não consigo, tinha alguém sobre mim e quando fui falar algo essa pessoa tapou minha boca e disse “fica quieto, tu me provocou agora aguenta”, eu não acreditei no momento, tentei me virar pra pelo menos pegar uma camisinha mas já era tarde, num tranco único senti meu cu rasgar e tentei gemer de dor mas era em vão, ele meteu o pau seco em mim e não parecia ser nada pequeno.
Ele era mais alto que eu e mais forte também então não pude fazer nada a não ser deixar ele fazer oq quisesse comigo.
Ele parecia um animal, socava forte e fundo, tirava o pau e metia tudo de uma vez e eu já estava vendo estrelas e a essa altura já estava gostando de sentir aquele homem dentro de mim, com uma mão tapando minha boca enquanto que com a outra dava tapas fortes na minha bunda.
Não demorou muito, ele tinha que sair rapido do quarto então num urro alto ele anunciou o gozo, tentei sair pra ele não gozar dentro de mim mas foi em vão e senti seu pau pulsar empinei bem minha bunda pra receber sua porra e enquanto ele gozava ainda continuava a meter forte.
Quando ele saiu senti um enorme vazio no meu cu, olhei rápido pra trás e pude ver na sombra um pau gigante de no mínimo uns 23cm e muito grosso, não sei como tudo aquilo tava dentro de mim. Fiquei algum tempo na cama e quando levantei para ir ao banheiro toda a porra começou a escorrer pela minha perna e eu não tinha nem forças pra trancar o cu e evitar sujar meu quarto, foi uma delicia bem estra. Inventei uma desculpa dias depois pra conseguir pegar seu whatsapp e agora enquanto a obra segue fingimos que nada aconteceu mas já recebi umas fotos dele de madrugada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.