Policial engolindo leitinho quente

Olá! Me chamo Rafael tenho 25 anos de São Paulo , 1,75 de altura, Moreno, ativo vou contar o que aconteceu recentemente .
Abri o app como e, para a minha surpresa, um cara novo aparecia entre as que já conhecidas. A foto só mostrava um tronco fardado. Nunca tive fetiche por isso, mas confesso que ele me chamou a atenção.
No perfil apenas Sigilo35. Sem indicação de preferências, mas estava por perto, há 2 Km de distância. Naquele dia eu estava livre e confesso que me excitou imaginar um policial, comigo, logo ele puxou conversa: “Oi,” “Oi, tudo bom?” “Tranquilo e vc?” “Sussa.” “Curte ser mamado?” “Sim.” “Pode agora?” “Posso. Mas tem que ser rápido, minha mulher está me esperando.”
Trocamos foto, ele aparentava ser mais jovem, tinha um corpo forte mas não musculoso, branco, e usava barba rala e cabelo curtinho,
Mandei a localização. Ele estava de carro e chegou rápido. Fomos em direção do seu apartamento,. Pra a minha surpresa, ele veio apenas de moletom e regata de academia. Ele parecia muito nervoso, suava e não falava muito – “É a primeira vez que você faz isso?” perguntei
– “Não, mas sempre fico nervoso.” E ele deu um sorriso meio de nervoso.
Fui para elevador mas fui detido por ele. “Vamos pela escada.” Somente quando alcançamos o quinto andar, me dei conta que nasao havia ninguem nas escadas. Nisto , ele falou :
-Deixa eu te mamar aqui.
-Lá no seu apê é melhor, não? Sem perigo de sermos pegos…”
-Aqui é melhor, ele falou, dando um sorriso safado.
Meu pau endureceu na hora.
Me mantive no degrau mais alto, enquanto ele, alguns degraus abaixo, agarrou minha pica sob a bermuda. Ele abriu o meu zíper devagar e arrancou o meu pau. Estava babando. Ele caiu de boca suavemente, fazendo o prepúcio rolar com toque dos lábios, expondo a cabeça do meu pau à sua língua quente.
Com habilidade, começou o vai e vem. Fiquei ali sendo mamado por um policial e falando: “Mama, vai! Mama gostoso! Mama o teu macho!” Eu falava baixo, com medo de ser pego em flagrante, medo este que também tornava a mamada ainda mais gostosa.

Ele era rápido e, enquanto o meu pau ia e vinha dentro da boca dele, sua língua se revirava lá dentro, amplificando o efeito do boquete.
Pus a mão na nuca dele para coordenar a mamada e, pondo a mão sobre a minha, ele fez um gesto para eu segurar os cabelos com força. Foi o que fiz. Enterrei o meu pau na garganta dele, enquanto ele engasgava e fazia a saliva viscosa rolar pelo meu pau e saco. Gostei daquilo e, ao mesmo tempo em que movia a minha virilha contra a boca dele, segurando os cabelos , fazia a cabeça dele vir de encontro ao meu corpo. Sentia a respiração pesada dele quando o seu nariz tocava os meus pelos aparados.
Seu celular tocou, e ele atendeu, ele pensou que eu já parar, Mas enquanto ele falava com ela eu batia com minha pica em seu rosto, e ia enfiando quando ela falava e ele ficava quieto. Agora ele lacrimejava. Os olhos voltados para cima, olhando pra mim, me implorando para parar. Eu nao parei. Em um momento, ele disse q ela, com uma voz fingindo, que estava escavando os dentes, por isso o barulho, com apressado ele disse que já ia busca-la e desligou, em seguida Ele sorriu e disse:
-Bate na minha cara enquanto eu te mamo.
Ele voltou a mamada, engolindo o meu pau até o talo e engasgando. ELe pedia para levar um tapa. “Me bate,” . E foi o que fiz. Então ele parou de mamar e falou puto “Me bate feito homem, porra!”
Ele não sabia o que estava provocando então, resolvi mostrar pra ele o que é dominar.
Com uma mão, agarrei os cabelos dele e fiz o policial engolir o meu pau, com a outra, dei um tapa com toda a minha força, nem me importando se seríamos descobertos. Ele começou a mamar com mais tesão ainda.
-Mama esse caralho, puto , mama direito ou vai apanhar.” Senti o dente dele tocar a cabeça do meu pau. Acho que foi de propósito. Dei outro tapa, Ele melhorou o boquete.
Segurei ele pelas orelhas e fiz o ritmo que eu queria, ele caiu ajoelhado no degrau, completamente entregue. Ele engasgava, as lágrimas rolavam e eu socava na boca dele sem dó. “Vou gozar,” falei. E de repente me ocorreu dizer “e você vai beber tudinho!” Ele parou de mamar e falou “não cara, por favor, não faz isso comigo, não!” Por um momento realmente achei que ele estivesse pedindo de verdade. Dei um tapão na cara dele e disse “Cala a boca e faz o que eu mando!” Forcei a mamada e ele relutou, mas eu impus a minha vontade e ele teve que aceitar.
Fiz ele mamar o mais rápido que eu pude e anunciei “Vou gozar, bebe tudo! Vou gozar, vou gozar…” o meu pau encaixou na garganta dele, garganta a baixo, e lá eu despejei os jatos de porra, obediente ele engoliu, os olhos vermelhos.
Depois que gozei ele quis parar, mas falei “Deixa o meu pau limpo, puto” Então ele mamou até que não tivesse mais nenhum resquício de porra.
Quando terminou, ele limpou a boca, sorriu olhando pra mim e disse “você é foda, cara!
Como a esposa dele já o esperava, ele so me deixou em ksa e no caminho todo pegando no meu pau, marcamos de fuder um outro dia, mas ainda não rolou.
Votem e comentem se gostarem e leiam os outros contos por favor, e me mandem msgs respondo todos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.