Sendo Abusado pela síndica e o seu marido

O que vou relatar aconteceu comigo no prédio dos meus avós, que é aonde eu moro. Uma breve descrição sobre mim: sou baixo, levemente acima do peso branquinho, sem pelos e com um bumbum bem grande rs. Bem, estava eu sozinho na casa dos meus avós, como acontecia sempre, pois eles eram bastante ativos e sempre estavam passeando e viajando, dessa vez fiquei sozinho por 2 dias. Sempre ficava com o maior tesão sozinho em casa, e minhas fantasias preferidas era ficar de meia, essas de futebol, até o joelho e totalmente peladinho vendo sites

de sacanagem na internet. Esse dia em especial eu estava com muito tesão no bumbum, e assistia aos vídeos na internet colocando o cabo da escova de cabelo no meu cuzinho melado de creme, entrava e saia dele bem devagar, enquanto punhetava o meu pintinho. Nisso, toca o telefone, era a minha vó pedindo para jogar o lixo pq era dia de lixeiro passar no prédio, eu disse pra ela que depois jogava que eu estava ocupado, mas ela foi enfática no pedido: Joga agora seu moleque!! Desliguei o telefone e peguei o lixo da cozinha para jogar, como o meu tesão era muito grande, eu sai do jeito que estava mesmo, a lixeira ficava no meio do corredor do prédio, abri a porta e sai para jogar o lixo bem rápido, só de meias verdes até o joelhos e mais nada, totalmente peladinho. Sai correndo pelo corredor, joguei o lixo e voltei correndo, aquilo me deu mais tesão ainda e eu voltei para a minha cama pra continuar a minha brincadeirinha na internet.
Mais ou menos umas 2 horas depois, toca o interfone do apartamento, e quando eu atendo, era a sindica do prédio, a Dona Vera, uma senhora que devia ter uns 50 e poucos anos, baixinha, morena e bem brava por sinal. Eu atendi e perguntei: Olá Dona Vera, em que posso ajudar? Ela responde do outro lado da linha: Olá Fábio, os seus avós estão em casa? Eu: Não senhora, eles viajaram. Ela diz: Ah sim, eu imaginava isso mesmo, será que vc poderia descer até o meu apartamento? Eu preciso falar com você com urgência. Eu então pergunto: Claro, mas aconteceu alguma coisa Dona Vera? Ela rapidamente responde: Conversamos pessoalmente, até logo. Ela desligou o telefone rapidamente e eu comecei a pensar o que poderia ter acontecido. Eu tinha que colocar uma roupa para descer, peguei um short de nylon e uma camiseta branca, limpei meu bumbum que ainda estava meio melado do creme, vesti o shorts a camiseta, tirei a meia coloquei um chinelo e desci. No elevador eu estava muito preocupado sobre o que poderia ter acontecido, quando chego em seu andar, caminho até a porta e toco a campainha. Ela então abre a porta e pede para que eu entre. Me encaminho para a sala e me deparo com o seu marido, o Sr. Marcos sentado no sofá. Sr marcos era o segundo marido da Dona Vera, um cara gordo, alto com uma barriga bem grande e poucos cabelos na cabeça. Ela então diz: sente aqui no sofá que eu quero te mostrar uma coisa. Eu atendo o seu pedido e sento ao lado do senhor Marcos de frente para a TV que já estava ligada.
Dona Vera então fecha a porta de casa e se senta ao meu lado, eu acabei ficando ali no sofá entre os dois. Foi aí que eu perguntei: Mas Dona Vera, o que foi que houve? Eu já estou aflito. Ela então disse: calma meu filho, vc vai ver. Nisso ela muda de canal e sintoniza na rede de câmeras do prédio. Na mesma hora eu já sabia do que se tratava, me lembrei que mais cedo eu tinha saído para jogar lixo só de meias. Como eu pude ser tão burro? Acho que o meu tesão era tanto naquela hora que eu nem lembrei que o prédio tinha câmeras. O vídeo começa e mostra nitidamente eu passando correndo, peladinho para jogar o lixo fora. Ela então pausa o vídeo e diz: Será que vc pode nos explicar essa cena? Eu comecei a gaguejar e tentar responder: Do.. Do.. Dona Vera eu, eu eu… Ela então fala: Não precisa explicar nada! Este prédio é um lugar de gente decente que não está acostumada com esse tipo de coisa! Disse bem brava. Eu ali, me sentia acuado e com muita vergonha, e pensava quem mais poderia ter visto isso. Alguém mais viu isso Dona Vera? O Sr Marcos então responde por ela: Olha filho, vc sabe que as câmeras ainda estão em fase de instalação, por isso só nós aqui temos o acesso ao que foi filmado, quem viu vc peladinho fui eu, depois chamei a Vera e mostrei o vídeo a ela. Em seguida ela completa: Exatamente! Quando o Marcos me mostrou fiquei sem acreditar, eu pensei como eu falaria isso para a Dona Ana e o Sr Pedro ( os meus avós). Nessa hora então eu disse: Por favor, não mostrem isso pra eles, por favor! OS dois então se entreolham e o Sr Marcos diz: Olha meu filho, isso a gente ainda não decidiu. A dona Vera então me diz: Vc sabe o que mais chamou a atenção do Marcos quando ele te viu? Eu: Não, o que foi? Marcos então responde: Foi o tamanho da sua bunda! Como pode um garoto ter um bumbum desses tão grandão?! O Sr Marcos fala isso e começa a dar uma risada sacana olhando para a Dona Vera. Eu fico sem jeito e morrendo de vergonha. Olhei para o lado e pude ver a cara de safado do Sr Marcos. Ele estava de samba canção branca e uma camisa de política dessas de ficar em casa, não reparei no início pq estava nervoso, mas ele tinha um grande volume debaixo daquela barrigona. Foi ai que a Dona Vera então diz: Então Fábio o Marcos aqui gostou muito de vc, ele não parou de falar do seu bumbum desde que me mostrou o vídeo, foi ai então que eu reolvi te chamar aqui. Pois para que não contemos nada para os seus avós, vc vai ter que nos ajudar…
Quando ela falou isso eu fiquei surpreso e ao mesmo tempo curioso para saber o que me esperava. Ela então ordenou que eu ficasse em pé para que o Marcos pudesse me ver. Eu então obedeci na mesma hora, fiquei em pé na frente do Sr Marcos, que estava sentado de pernas abertas. Ele então põe as mãos na minha cintura e me pede para virar de costas. Eu então obedeço e fico de costas pra ele. O Sr Marcos diz então: vamos ver se essa bunda é grande mesmo. Ele dizia isso enquanto suas mãos puxavam o meu short pra baixo, ele fez isso bem devagar, e quando o short passou pelo meu bumbum ficou levemente preso, ele então puxou com mais força e fez o short pular pra baixo. Nossa, olha só isso Vera, olha que coisa mais linda essa bunda. Exclamou o Sr Marcos. Dona Vera confirma: Realmente vc tem uma bunda linda viu, bem grande e redonda, é de fazer inveja. Eu agradeci o elogio virando a cabeça para ela, e pude perceber que ela já estava segurando um dos seus peitos com a mão enquanto a outra estava por baixo da sua saia. O clima de tesão já tomava conta daquela sala.. Sr Marcos então termina de tirar o meu short e a minha camiseta, me deixando ali peladinho na frente deles. Com a sua mão gorda ele aperta a minha bunda e me dá um leve tapinha, fiquei louco de tesão com aquilo. Dona Vera então se levanta, e tira toda a sua roupa. Ela tinha um corpo normal, mas tinha seios bem grandes. Ela então se aproxima de mim e fala: Vem aqui que eu vou te mostrar uma coisa. Dona Vera se aproxima do Sr Marcos e o pega pela mão, fazendo ele levantar do sofá. Em pé ali na minha frente eu pude perceber como o Sr Marcos era grande e gordo, sua barriga quase encostava em mim. Ela então se aproxima dele e põe a mão por dentro do samba canção, ela faz uma massagem rápida e coma outra mão vai puxando o short do Sr Marcos para baixo. Eu ali fico completamente congelado com essa cena. O seu short vai descendo lentamente e eu pude ver o tamanho daquela rola. Eu nunca imaginei que um gordo pudesse ter um pau daquele tamanho, achei que tivessem um pau pequeno por causa da gordura. Mas o Sr Marcos tinha uma uma rola grossa, pesada, com uma pele que cobria toda a cabeça. Com ela toda pra fora Dona Vera diz: O que vc achou? Gostou? Eu respondo com uma voz meio rouca: Nossa ela é linda! E muito grande tb! Sr Marcos então dá uma risada safada e diz: Eu sabia que vc ia gostar dela, eu falei pra Vera. Outro fato que me chamou a atenção foi que ele tinha o pau totalmente liso, e o resto do corpo era bem peludo. Dona Vera então tira a camisa dele e pede pra ele sentar. Vem aqui seu moleque gostoso, fica de quatro na frente do Marcos. Eu meio sem jeito mas com muito tesão tento argumentar, mas ela então fala brava: Anda putinha, fica de quatro agora, e empina bem esse bundão vai!! Eu obedeço na mesma hora e abaixo ali no tapete de frente para o Sr Marcos, empino bem a minha bunda, deixando meu cuzinho totalmente a mostra pra ele. Dona Vera então se abaixa ao meu lado e abre com as suas mãos a minha bunda mostrando ainda mais o meu cuzinho. È isso que vc quer né seu safado? Pergunta a Dona Vera para o seu Marcos. É um cuzinho assim que vc quer né? Ele responde: Isso, é uma bundona dessa que eu quero, um cuzinho assim bem lisinho pra engolir todo o meu pau. Eu ouvindo isso dou uma reboladinha e olha pra trás, a cena era linda, eu ali peladinho no chão da sala, a Dona Vera pelada com os peitões de fora abrindo totalmente a minha bunda e o Sr Marcos sentado punhetando aquele pau enorme de grosso. Fiquei louco com aquilo e falei: Vem Sr Marcos vem sentir esse cuzinho. Sou interrompido na mesma hora pela Dona Vera que me dá uma bronca: Espere aí sua putinha, eu é que mando aqui. Primeiro vc vai mamar essa mamadeirona. Vem aqui Marcos, vem dar de mamar pra essa putinha vem. Sr Marcos então se levanta e e vem até mim, para na minha frente e fica de joelhos, fazendo com que aquela rolona fique ali bem na minha cara. Dona Vera então ordena: Vai neném, mama essa rola vai, mama bem gostoso. Com uma das mãos eu seguro o pau do Sr Marcos, era tão grossa que eu nem fechava a minha mão, puxei bem devagar a pele que cobria a cabeça e pude sentir um cheiro forte que exalou no ar, lentamente eu abocanho aquela cabeça inchada e vou chupando bem devagar, sentindo todos os sabores daquele pauzão. Dona Vera então se deita ao meu lado e começa a enfiar 3 dedos em sua buceta, que era bem carnuda por sinal.
Ela se masturbava enquanto falava: Isso sua putinha mama essa mamadeira toda, mama bem gostoso a rola do meu macho. Eu então aumentava o ritmo e chupava bem forte, levando Sr Marcos ao delírio. Nossa Vera como esse neném mama gostoso, ele mama com vontade, acho que ele estava com muita fome. Marcos fala isso enquanto geme de prazer. Dona Vera continua a ordenar as ações do Sr Marcos: Agora sobe na mesa e fica de quatro empinando bem esse cuzinho. Eu então levanto e subo na mesa de jantar da sala, fico de quatro e com as mãos eu abro bem a minha bunda arreganhando totalmente o meu cuzinho. Sr Marcos se levanta e vem atrás de mim, minha bunda estava bem na altura da sua cara, ele então diz: Posso chupar esse cuzinho meu amor? Por favor. Dona Vera então se levanta e fica ali em pé ao lado dele: Pode sim, lambe bem lambido esse cuzinho vai. Sr Marcos então começa a passar aquela língua áspera pelo meu cuzinho me levando nas nuvens, eu vou sentindo aquilo e vou gemendo de prazer. Dona Vera então fala: Isso putinha, geme de prazer vai geme. Ela então segura o meu modesto pau e começa a me punhetar. Sr Marcos deixa o meu cuzinho completamente babado e diz: Vera vc acha que ele já está pronto? Ela então responde: Espera aí, essa parte é comigo. Dona Vera então se aproxima de mim e começa a enfiar 2 dedos de uma vez no meu cuzinho. Como eu estava brinacando com ele naquele dia mais cedo, ele já estava laceado. Sr Marcos cospe nos dedos dela e ela enfia mais dois, eu estão começo a gemer mais alto, ela já estava com 4 dedos dentro do meu cuzinho. Pronto! Agora vc pode comer esse cuzinho. Sr Marcos então obedece na mesma hora, com a ajuda da Dona Vera, direciona o seu pauzão grosso na portinha do meu cuzinho e começa a empurrar. Lentamente aquela tora de carne vai entrando no meu cuzinho e eu sinto um tesão que nunca tinha sentindo antes, começo a gemer mais alto e sou reprendido. Não grita putinha, geme baixinho! Dona Vera ordena enquanto se masturba no sofá vendo a aquela cena. Com aquele pau todo atolado em mim Sr Marcos começa a meter mais forte, e sinto a sua barriga bater na minha bunda com aqueles movimentos. Ele delira de prazer. Nossa que cuzinho delicioso vc tem sua putinha, é muito apertado e quentinho. Dona Vera então aumenta os movimentos e já estava com quase a mão inteira dentro da sua buceta, ela gemia de prazer e dizia que estava gozando: Ai vou gozar, preciso gozar vendo isso, aaaaaahhhhh aaaahhhhhhh que delícia. Ela então goza enquanto Sr Marcos mete forte no meu cuzinho já todo arrombado por sua rolona. Isso Sr Marcos, me come bem gostoso, empurra seu pauzão grosso dentro do meu cuzinho vai.. Não é pra gozar ainda não Marcos!!! Ordena a Dona Vera. Ele então desengata o pau do meu cuzinho deixando ele totalmente aberto. Ele deita no sofá e a Dona Vera ordena que eu monte nele. Eu então faço o que ela me ordenou e sento de costas pra ele, encima daquela rola grossa que já entra com facilidade no meu cuzinho melado. Dona Vera então vem na minha frente e começa a chupar o meu pauzinho. Vai Marcos, goza no cuzinho dessa putinha vai, goza!!! Sr Marcos então começa a me guiar naquele sobe e desce na sua pica grossa, em 2 segundos eu começo a gozar na boca da Dona Vera, tamanho era o meu tesão, ela engole tudo enquanto aperta um dos peitos com a outra mão.
Sr Marcos anuncia que vai gozar: Ai vou gozar, vou gozar dentro do seu cú neném, vou encher ele de leite putinha. Sinto 4 jatos quentes inundarem toda a minha bunda, ele gozou tanto que chegava a vazar pelos lados do meu cuzinho enquanto a sua rola estava ainda engatada em mim. Dona Vera então ordena: Agora sai daí Marcos, deixa eu limpar essa sujeira. Seu Marcos me empurra pra fora do seu pau, me deixando com o cuzinho voltado pra cima, escorrendo todo o seu gozo que saia de mim. Dona Vera então começa a lamber er chupar todo o meu cuzinho, recolhendo cada gota de leitinho. Pronto! Agora vc está limpinho e já pode voltar pra casa, pode deixar que não vamos falar nada pros seus avós tá bem putinha? Eu agradeço enquanto visto aminha roupa. O sr Marcos estava ainda desfalecido no sofá, com a rola já mole e ainda babando pela cabeça. Ele se despede: Tchau minha putinha gostosa, sempre que o neném quiser leite ele pode vir aqui mamar na minha mamadeira viu?! Eu agradeço mais uma vez: Muito obrigado por não contarem nada, e eu adorei ser putinha de vocês, espero que isso se repita em breve. Dona Vera fecha a porta e lembra: Sim, mas só quando eu quiser, sou eu quem manda esqueceu? Ela então bate a porta.

Espero que vcs tenham gozado muito com esse conto, foi a melhor experiência que já tive!! Até a próxima.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.