Sendo arrombado por um dotado 22cm que conheci no Grindr

Olá caros leitores, cá estou eu para mais um relato. Primeiramente agradeço pelos votos e leituras do conto anterior e segundo peço desculpas por não ter me apresentado direito.

Sete Sensações Anestésico

Bom, me chamo Bob (Nome Fictício) mas podem me chamar de novinho aventureiro rsrs, tenho 18 anos, sou de Recife-Pe, meu corpo é normal, nem muito gordo nem muito magro, tenho 1,71 de altura e 62kg +/- e adoroo aventuras, mesmo tendo dado uma pausa nelas por conta de falta de tempo, porém tudo que relato em meus contos é verdadeiro. Então… vamos ao conto.

Em uma quinta-feira para ser mais exato lá estava eu teclando com alguns caras no grindr e um deles que já havia me chamado atenção por seu dote (22cm grosso), mas eu nunca tinha o chamado para conversar, foi então que decidi puxar conversa com o mesmo e logo percebi que ele estava super afim de fuder. Eu logo de cara fui arranjar uma desculpa para minha mãe para dar uma fugidinha de casa pra tranzar com o boy e foi oque fiz. Desculpa arrumada e então marcamos para nos encontrarmos em uma estação de metrô que ficava perto de sua casa, passaram-se então algumas horas e eu como de costume estava muito nervoso pois não sabia oque ia enfrentar pela frente. Assim eu cheguei lá o Dotado me recebeu super bem, ele era um cara alto, barbudo e aparentava ter uns 38 anos, corpo um pouco atlético e tinha alguns músculos espalhados pelo corpo, além disso tinha uma raba enorme. Dessa forma fomos a pé para casa dele pois segundo o mesmo ficava a alguns minutos do nosso ponto de encontro, no caminho conversamos sobre algumas coisas sem importância e após 10 minutos de caminhada enfim chegamos a sua casa. Logo de início ele fechou as portas e janelas e veio me agarrar e eu meio tímido ainda fiquei com receio mas como sempre acabei cedendo e nos abraçamos de maneira correta e trocamos um beijo, logo em seguida o dotado me chamou para tomar banho com ele e foi o que fizemos, lá no banheiro pude apreciar seu corpo meio definido e seu pau que mesmo mole era enorme o que me fez pensar “o que estou fazendo aqui, esse cara vai me arrombar de vez”. Depois de tomarmos o banho o mesmo me conduziu até seu quarto onde nos beijamos por algum tempo e sarramos um pouco, em seguida tiramos a toalha que nos cobria e ficamos completamente pelados e pude notar que seu pau estava maior e ainda estava meio bomba me assustando cada vez mais. Quando tiramos a toalha que nos cobria o dotado deitou-se na cama e exigiu que eu o mamasse e foi o que fiz com muito prazer e dificuldade por conta do tamanho de geba dele, babei muito aquele pau e o safado gemia alto de prazer e me perguntava se eu ia dar o cuzinho para ele e eu só confirmava balançando a cabeça. Após 15 minutos chupando aquela tora ele tira o pau da minha boca, me pega forte pelo braço e pede para eu ficar de lado na cama, com tal ordem obedecida meu nervosismo parecia estar a mil, cheguei até a ficar gelado em quanto o putão colocava a camisinha e bastante lubrificante no pau e no meu cuzinho dando leves dedadas e falando “esse cuzinho vai ser todo meu” e eu por conta do meu estado não disse nada e continuei imobilizado. Chegou o grande momento, o Dotado posicionou o pau na portinha do meu cú e começou a enfiar devagar, mais que depressa empurrei meu corpo para frente e tentei fugir e pedi para ele parar ma o mesmo mandou eu relaxar, então ele colocou o braço sobre meu peito me puxando contra seu pau e foi metendo bem devagar até tudo entrar, parecia uma tortura e eu só pedia para ele parar e o safado continuava a meter e iniciou-se então o vai e vem frenético, ficamos nessa por quase 20 minutos e eu já estava um pouco acostumado com aquela tora dentro de mim, então o jebudo pediu para eu cavalgar , fui muito obediente e fiz isso com uma expressão totalmente diferente, acho que meu rosto esbanjava prazer e minha cara mudara para “safado”, fiquei cavalgando e quicando naquele pausão por um bom tempo e o safado gemia alto e falava putarias em um bom tom para quem quisesse ouvir “vai viadinho, cavalga vai”, “que cuzinho apertadinho” , “geme vai safado”, eu já estava impressionado que estava conseguindo agüentar um pau daquele tamanho, meus gemidos começaram a fluir (Sou muito difícil para gemer), e todo aquele ambiente de nervosismo tinha sumido e o prazer tomava conta de tudo e o cheiro de sexo ficava no ar até que ele anunciou que ia gozar, então aumentei a velocidade da cavalgada e ele deu um tapão na minha bunda e apertou-a com muita força e urrou bem alto “ahhhhhhrrrrr, arhhhhrrr”, me chamou de safado e só tirou o pau de mim quando amoleceu, enquanto isso eu estava deitado em seu peito sem tirar o pau de dentro de mim.

Assim que acabamos de tranzar ele me ajudou a gozar chupando meu pau e gozei em sua barriga, logo depois nos beijamos, tomamos outro banho, nos trocamos e ele me levou até a estação de metrô, nos despedimos de forma discreta e vim para casa realizado com o cú arrombado e disfarçando no andar né rsrs. Quando cheguei em casa mandei mensagem para ele dizendo que havia chegado e quando tomei banho pude sentir o estrago, meu cú estava todo ardido e eu não estava conseguindo sentar direito no sofá pois estava muito dolorido porém logo veio a minha cabeça “Valeu a pena toda essa dor”, Juro a vocês que passei 3 meses sem transar depois dele e nunca mais ouvi falar do dotado que me arrombou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.