Sendo usado pelo meu tio

Durante o feriado resolvi visitar meu tio José, suas duas filhas pequenas (minhas primas) e sua esposa, mas ao chegar na casa dele tive uma grande surpresa… sua esposa havia viajado há um mês para cuidar de sua mãe que estava adoentada.
Esse irmão do meu pai em especial sempre foi o mais próximo de mim, me ensinou a dirigir carro quando tinha apenas 10 anos, me levava para todos os cantos. Agora eu já estava mais velho e ele estava na seca.


Certo dia ele iria pescar e me chamou para ir junto, as crianças ficariam em casa com a faxineira (e olha que ela fazia o serviço de baba sem cobrar mais). Chegamos ao rio são Francisco que ficava à menos de 5 quilômetros do pequeno vilarejo onde meu tio residia. Chegando lá colocamos o barco para dentro do rio, subimos e partimos rumo as aguas profundas, e torcer para pescar algo, pois o sol estava de rachar.
Passamos horas e horas conversando e eu claro que comecei a ver meu tio com aqueles olhos de quem passa muito tempo sem ver ninguém e a única coisa que tem em sua frente é um macho alfa. Pele morena do sol, as costas tinham os músculos definidos mas na frente já havia uma pequena barriga, nada tão extravagante. Ele ficou apertado e lá mesmo no meio do rio arriou as calças e tirou seu membro pra fora, e digo assim de passagem, que membro, devia ter lá pelos seus 19cm.
Eu recoloquei minha cabeça no lugar, era meu tio, laços muito próximos que poderiam deixar de existir apenas por causa de tesão, e como sou bissexual e não afeminado, não tinha como ele perceber que eu havia secado seu pau com algum tipo de malicia.
Conseguimos alguns peixes, e então meu tio me disse:
_Ei (…), vamos nadar antes de voltarmos?
Eu aceitei, então tiramos as roupas e apenas de cueca, naquele ambiente paradisíaco saltamos no meio do rio, e se era fundo? Muito. Passei um tempo nadando com ele, jogando agua no rosto dele, mas percebi que ele estava diferente, desde que ficamos de cueca… Será que minha bunda havia deixado ele com tesão? Senti uma câimbra na perna, e como doía, mas como em todo caso de afogamento, isso ocorre devido ao desespero, eu tentei me acalmar e nadar, estava funcionando, mas ai percebi que se quisesse testar meu tio precisava atuar um pouco.
_Mas que droga! Minha perna deu câimbra. Me ajuda aqui um pouco. _entre uma frase e outra fingia estar bebendo um pouco de agua do rio.
_Fica calmo. Calma que já estou indo, só tente boiar. _dizia meu tio, que me agarrou por trás e então pude sentir seu pau duro em minhas costas. E ele não disfarçava, enquanto tentava me levar até o barco fazia o movimento de vai e vem, me encoxando cada vez mais com seu pau duro, estocando minha cueca para dentro de minha bunda. Sim, eu saí com a cueca enterrada no rego.
Ele me jogou para dentro do barco e em seguida subiu cansado e caiu sobre mim. Ficamos cara a cara, molhados, dentro de um barco no meio do rio São Francisco, de cuecas, o pau duro dele no meu umbigo, ele então aproximou seus lábios aos poucos, e ofegante me beijou, me beijou com vontade… A seca faz maravilhas meus caros.
Aos meus 17 anos apenas aquilo acontecendo era motivo de comemoração. Sempre achei os homens entre 30 e 45 mais bonitos, e posso garantir que meu titio estava demais. Ele não perdoou, e posso te falar, ele já faz brincadeiras com a língua casualmente, com ela dentro da minha boca pude ver que ele tinha habilidade. A minha língua nem entrelaçava com a dele, a minha língua era imobilizada pela força da dele.
Nos beijamos por uns dois minutos, mas parecia uma eternidade, aquele homem se esfregando em mim e me beijando, com os dedos de suas mãos entre os meus e prendendo meus braços contra a base da canoa… Se vocês não estiverem excitados até aqui, sinto muito, eu já estava em ponto de bala naquela barco, e posso garantir que foi demais.
Quando paramos de nos beijar ele disse:
_Olha, eu sei que isso é errado. Me desculpe, pode parecer estranho, mas é que eu estou muito tempo sem sexo, então se pareceu estranho para você quero pedir desculpas…
Eu então disse:
_Olha tio, foi um pouco estranho, mas… foi bom, tão bom que se você quiser terminar o que começou, não aqui por que não quero afundar esse barco, mas depois, basta falar comigo.
_Então, você é gay?
_Para aqueles que falam que não existe bissexual eu sou gay, mas eu me considero bissexual, eu topo tudo. _eu disse.
_Uau… Tem muita coisa acontecendo. Não sei o que estou sentindo agora, se é alivio por você compreender ou se estou preocupado por minha atitude. _ele disse.
_Apenas vamos voltar para a margem e voltar para casa, já está ficando tarde, e de qualquer forma o que aconteceu e o que pode acontecer na verdade vai ficar em segredo. _eu disse.
Ele riu, e que sorriso, deu partida no motor e fomos para sua casa. Dormimos e na manhã seguinte levamos suas filhas até o Projeto Aprender, havia um salão com muitos brinquedos e elas passavam o dia lá. Meu tio avisou a professora que precisava que elas ficassem lá até nós levarmos comida para os gados de um amigo dele, que havia pedido para tratar dos animais enquanto estava fora da fazenda (que estava vazia por sinal). Aquilo era surpresa pra mim.
Fomos até lá de motocicleta. Eu fui pilotando e senti sua rola meio bomba roçando em minhas costas em cada bacada. Chegamos lá, tratamos do gado e então meu tio suado, me chamou para um banho. Entramos na casa da fazenda, no quarto do amigo do meu tio havia um banheiro, meu tio ligou a TV e tomou banho primeiro, eu fiquei assistindo TV e logo em seguida fui tomar meu banho enquanto meu tio se enxugava.
Ao sair do banheiro vi meu tio deitado na cama se masturbando. Ele olhou para mim e disse.
_Sim, eu quero desde que isso vire nosso segredo.
Eu então não esperei duas vezes e deitei sobre ele e comecei a beijá-lo. Mas beijei pouco pois fui até o seu ouvido e sussurrei:
_Deixa eu te chupar?
Ele apenas acenou ofegante enquanto passava as mãos pela minha cabeça, eu abaixei e já percebi que sua piroca já estava dura feito pedra. Coloquei ela em minha boca, chupava a cabeça, dançava minha língua sobre ela, e engolia, chupava, lambia seu pau e chupava suas bolas raspadas.
E como ele era escandaloso. Ou a esposa dele nunca havia feito um boquete nele, ou eu era muito bom no que fazia. Continuei a chupar e ele a gemer alto, aliás, ninguém iria naquela fazenda mesmo.
Ele não gozou. Enquanto eu chupava, ele pegou nos meus cabelos e puxou ele com brutalidade, me deixou cara a cara com ele e disse:
_Eu vou encher você de porra, vou deixar seu cuzinho cheio de gozo.
Ele já me virou de bruços, passou para cima de mim, deu umas palmadas em minha bunda e gritava para eu arrebitar. Eu obedeci e então ele colocou, eu senti aquilo entrar e doeu muito, mas não por que era grande, pois ele metia brutalmente, eu me senti estuprado, estuprado pelo meu tio, pois quando pedia para ele ir mais devagar ele ia mais rápido. Eu comecei a gostar daquela sensação de ser posse de alguém, de não estar no controle de nada e de ser só um objeto.
Ele meteu com vontade, deitado sobre mim, senti seu corpo estremecer quando ele penetrou fundo e então seu pau pulsou, senti pulsar, pulsar, mas nada de leite quente jorrar. Ele então urrou e senti meu cu encher de leite. Ele deitou do lado, nos beijamos por mais um tempo, ele reafirmou “isto será nosso segredo” e depois soltou: Se prepara para amanhã, e para quando vier, sei que isso é errado mas se topou não tem mal algum, apenas dois homens se divertindo.
Tomei outro banho, ele também e voltamos para casa. Sempre quando visitava ele e íamos para algum local mais privado (o dono da fazendinha estava de volta *triste* ), ele metia em mim, me fazia de seu objeto e eu continuei sendo seu sobrinho obediente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.