Sendo vadia do meu primo Junior

Olá galera, esse é meu primeiro conto aqui no site e espero que vocês gostem e deixem seus comentários, bom me chamo Rick, tenho 25 anos moro no interior de São Paulo, numa cidade a 30 KM de Marilia, eu sou alto, branco, gordinho sem exageros e bem distribuído e uma bela bunda, mas vamos ao relato que aconteceu comigo aos 17 anos.

Sete Sensações Anestésico

Era época de festas juninas e quermesses em minha cidade, e como de costume meus tios de São Paulo vinham para participar das festividades da cidade e com eles meu primo Junior, ele é alto 2,03Alt, magro, loiro, com um belo par de pernas, na época ele tinha 23 anos e eu 17, eu e ele nunca fomos muito próximos até porque ele vinha pra minha cidade duas ou três vezes por ano, pois bem eles estavam em minha casa meus pais e meus tios se arrumando para ir para a quermesse e eu como não curtia quermesses disse que iria ficar em casa e jogar vídeo game e ver algum filme na TV a cabo, nisso Junior disse a minha tia e meu tio que iria ficar também pois ele estava cansado da viagem e que iria tomar um banho e descansar era umas oito da noite meus tios e meus pais foram pra festa, eu fui para meu quarto jogar vídeo game e Junior foi para o banho, quando eu estou jogando chega Junior enrolado somente na toalha e senta em minha cama e puxa assunto perguntando a pra mim;

Junior:

– E as meninas do interior?

Eu jogando nem dei muita moral de disse:

– Não sei nenhuma me interessa.

Nisso Junior bravo por eu não ter dado atenção pra ele tirou a tomada do vídeo game e nervoso me pegou pelos braços dizendo que se fosse pra falar de homem eu estaria dando toda atenção do mundo pra ele, que aqui onde moro não tinha homem de verdade pra me pegar de jeito que putinha tinha que ser tratada como tal, eu nunca tinha dado se quer liberdade pra ele falar assim comigo e ele nem sabia que eu era gay, nisso eu disse pra ele me soltar ai ele me deu um tapa na minha cara e me jogou na cama e tirou a tolha, quando olho pra ele e vejo um corpo com poucos pelos e a região do pau com pelos loiros aparados um mastro de 21Cm, branco, grosso com a cabeça de cogumelo bem rosinha quando vi aquilo me assustei nem tive tempo de dizer nada ele já veio por cima de mim enfiando aquela jeba na minha garganta, ele me fazia chupar puxando minha cabeça contra o pau dele me fazendo engolir tudo meus olhos lacrimejavam e eu me engasgava ele olhava pra mim e falava que vadiazinha tinha que chorar na rola dele, eu quase sem força pra chupar ele e ele começa bombar na minha garganta como se tivesse comendo uma boceta e esfregar o saco dele na minha cara me afogando, quando ele me pega pelo cabelo e me coloca de bruço na cama e nem deu tempo de abrir a boca ele enfiou aquela jeba com toda força dentro de mim me fazendo gritar no que gritei ele mandou a mão na minha boca e disse que se eu gritasse de novo ele ia me fazer perder os dentes, que ele iria me arreganhar que a fêmea dele tinha que andar por ai com o rabo escorrendo porra dele pra todo mundo ver, nisso ele começa a aumentar as estocadas cada vez mais forte e eu pedindo pra ele parar que não estava aguentando mais e ele rindo da minha cara dizendo que eu iria ser a vadia dele toda vez que ele viesse pra cidade e que queria ver meu rabo cuspindo porra dele, eu quase não aguentando mais, quando sinto aquela jeba inchar dentro de mim soltando vários jatos de leite preenchendo todo o oco que ele tinha deixado dentro de mim e gritando que estava inseminando a vadiazinha dele, nisso ele solta o corpo dele sobre o meu e fala que não era pra eu falar pra ninguém se não ele iria mandar darem um pau em mim, assim quase sem voz disse que não contaria nada, quando me levanto não aguentando de dor olho para o lençol da cama e vejo mancha de sangue quando fui ao banheiro olhar no espelho ele tinha me deixado pingando porra e com o rabo parecendo uma flor e assim passei a ser a fêmea dele até os meus 19 anos quando ele se casou com uma mulher em São Paulo…

Se vocês acharam meu conto bom da um like e comentem e mandem sugestões, quem for aqui da região de Marilia da um toque…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.