Sexo com amigo hetero

Olá leitores! Este é meu primeiro conto, vou contar umas das minhas aventuras com meu amigo hetero. Espero que gostem.

Sete Sensações Anestésico

Me chamo Marcio, tenho 25 anos e moro no Rio. Conheço o Carlos desde pequeno, fomos basicamente criados juntos. Durante a adolescência, ele sempre foi mais pra frente, vivia falando de sexo e mulheres, e eu, ainda não era bem resolvido com a minha sexualidade. Quando enfim, me assumi para Carlos, ele me disse algo que me deixou surpreso:

_ Se eu soubesse na época, eu teria te comido.

Isso me deu esperança para então, desfrutar daquele macho.

Um dia Carlos me ligou, dizendo que precisava conversar comigo, que havia terminado com sua noiva. Disse que era para eu me arrumar, que iríamos até um bar e ele passaria para me buscar.
Chegamos até o bar, e falamos sobre trabalho, ele falou sobre o término dele, falei sobre alguns rolos meus, ele me mostrou uma sextape dele com a namorada, e nessa hora eu já fiquei excitado, tanto que tratei de elogiar o vídeo e claro, sua rola.
A noite fluiu bem, tomamos vários chopps, falamos sobre vários assuntos e decidimos ir embora. Levamos algumas bebidas para fazer um after na minha casa. Assim que chegamos, ficamos na sala, bebendo e eu coloquei um som. Como ele já conhecia minha casa, só avisou que iria no banheiro, entrou e começou a mijar com a porta aberta. De onde eu estava sentado, dava pra ver totalmente sua rola, comecei a tentar disfarçar, mexendo no celular e, quando voltei a olhar, ele estava com a rola meia bomba balançando para mim. O pau dele tem cerca de uns 18cm e bem grossinho, quando eu o vi vindo na minha direção com aquela pica balançando, ele chegou perto de mim e disse:

_ Mama!

É claro que eu não resisti! Segurei na base da pica dele, comecei a lamber a cabecinha, enquanto batia uma pra ele. Vez ou outra, eu olhava para ele e via sua feição de prazer. Comecei a abocanhar toda sua rola, sentia ela indo no fundo da minha garganta. Agora, contava com a ajuda dele, ele segurou minha cabeça com as duas mãos e começou a fuder a minha boca. Tava uma delicia! Eu sugava bem aquela rola pra poder dar bastante prazer pro meu macho. Descia com a boca para o saco dele e arrancava gemidos altos. Ele começou a meter mais forte, senti seu pau inchando na minha boca, senti que ele estava prestes a gozar e disse:

_ Me da leitinho, goza na minha cara, goza vai!
_ Você quer leitinho né? Quer na cara?
_ Eu quero meu macho! Goza na minha cara!

Ele começou a se masturbar bem próximo do meu rosto, enquanto minha lingua estava bem próximo da cabecinha, eu ia lambendo enquanto ele se mastubava. Até que, ele mirou no meu rosto e, gozou vários jatos fortes de porra. Ele gozou e sentou no sofá e eu corri para limpar o rosto. Fiz a pergunta clichê:

_ E aí.. curtiu a mamada?
_ Curti muito! Viado mama muito, foi a melhor.

Voltamos a beber e eu ainda não estava satisfeito (kkk), ele colocou a cueca e a bermuda, ficamos conversando sobre vários assuntos aleatórios, e estavamos basicamente um do lado do outro. Comecei a alisar seu pau por cima da bermuda, e ele ficou mexendo no celular, não satisfeito, enfiei a mão por dentro da cueca e continuei alisando, e ele sem esboçar nenhuma reação. Por fim, botei o pau pra fora e comecei a mamar, bem leve, passando a lingua por toda a cabecinha e enfiando na boca bem devagar.

_ Tu é foda! Quer mais leite né?

Eu só assenti com a cabeça. Ele baixou a sunga e a cueca e começou a mover a minha cabeça, alternando entre empurrar de forma mais leve ou dentro de um ritmo mais acelerado. Achei que fosse ser só uma mamada, até que ele disse:

_ Vira o cuzinho pra mim, vira!

Ai eu que ainda estava de roupa, baixei minha bermuda e minha cueca e, virei pra ele. Ele começou a bater com a pica na minha bunda e passar a rola entre as nádegas.

_ Fica de quatro no sofá pra mim!

Eu corri pro sofá e me coloquei na posição que ele pediu, senti ele cuspir bastante no pau, no meu cuzinho e em seguida, começou a pincelar. Eu não tenho costume de dar, por isso estava meio apreensivo. Ele começou a forçar a entrada e eu comecei a sentir aquele incômodo, de algo te invadindo. Ele cuspiu mais na rola, viu que o cuzinho era bem apertado e voltou a tentar meter. Dessa vez foi, comecei a sentir uma dor grande, com ele começando a me invadir. Senti ele colocando só a cabeça, até que num movimento bruto, ele empurrou com tudo. Eu vi estrelas! Aquele pau grosso dentro de mim, doeu bastante. No mesmo momento que eu senti ele metendo com tudo, me joguei para frente. Ele me tranquilizou e disse que iria botar com carinho. Cuspiu mais e voltou a meter devagar.

_ Ai que cuzinho apertao
_ Que delicia! Me fode!

Ele foi acelerando as estocadas e eu comecei a sentir prazer com uma leve dorzinha, ele pegou no meu pau e começou a me masturbar… Até que ele me trocou de posição e me colocou de frango assado, voltou a meter com força. Começou a gemer alto;

_ Tu não queria rola?
_ Queria meu macho! Me da leitinho!
_ Tu é uma puta! Quer que eu goze dentro?

Eu só assenti e retomei com os gemidos. Ele deu mais uma estocadas e gozou dentro do meu cuzinho. Senti seu leitinho me invadi e fiquei parado, pensando no que tinha rolado, enquanto ele foi se limpar no banheiro. Quando voltou, colocou sua roupa:

_ Não conta pra ninguém!
_ Claro que não, relaxa.
_ Vou indo nessa
_ Beleza!

Como eu ainda não tinha gozado, parei para lembrar sobre o que havia passado e comecei a bater uma, gozei e fui dormir feliz!

Espero que tenham gostado! Desculpe se ficou longo, como é o primeiro, nos próximos contarei com uma riqueza maior de detalhes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.