Sexo com o namorado da amiga

Olá! Me chamo Rafael tenho 25 anos de São Paulo , 1,75 de altura, Moreno, ativo vou contar o que aconteceu uns anos atrás.
No final de 2015, eu e uns amigos, a maioria deles de infância, combinamos que no feriado prolongado seguinte iríamos nos hospedar em um sítio e divindo o valor ficava bacana para todos finalmente se reencontrar e matar a saudade afinal já faziam alguns anos que não era possível juntar todos novamente devido a cada um ir tomar um rumo.
O grande dia finalmente se aproximava e um dia antes de viajarmos, tive que ficar na casa de uma das minhas amigas porque não morava perto da maioria do pessoal e também tínhamos que sair cedo para o litoral. Chegamos a noite e fui recebido no portão por um cara lindo, alto, moreno, porte físico bem definido e umas coxas e pernas bem avantajadas. Esse moço era o Luan , o novo namorado de uma das minhas amigas. Não conhecia-o pessoalmente, apenas por foto, por isso me espantei pelo fato dele ser ainda maisngostoso, principalmente se levarmos em conta aquela bunda durinha e empinadinha.
Ficamos (eu, ele e a tal amiga) conversando a noite inteira na varanda da sua casa, Luan assistia junto de sua namorada vídeos de maquiagem, e ela contou que ele era cabeleireiro e maquiador em um salão, percebi algumas olhadas dele pra mim, mas como achei que estava vendo coisas de mais, não dei muita bola para aquelas supostas investidas, até porque, minha amiga estava ali. Na manhã seguinte, a maioria da turma já tinha chegado para finalmente viajarmos.
Chegamos no Sítio pela tarde e todos decidiram descer e dar um mergulho na piscina. Enquanto ajeitava minhas roupas no quarto, conseguia ouvir o barulho das pessoas que estavam lá fora, então resolvi acelerar para conseguir descer, o quanto antes, para a piscina e encontrar meus amigos. Porém, enquanto descia as escadas, consegui avistar uma pessoa familiar na cozinha preparando alguma coisa. Era o Luan.
“– olá ?”
“– Fala aí, Luan.” – respondi meio assustado. Enquanto me aproximava dele percebi que ele estava só de sunga e vestindo uma regata, visão que me fez ir ao céu e voltar naquele momento, principalmente pelo imenso volume que fazia na parte de trás de sua sunga.

“– Cara me ajuda aqui por favor, preciso levar essas coisas lá pra fora.”
“– Tá fraco assim?” – demos uma risada.
“– Pô, dá pra ver que tá pesado aqui vai.”
“– Tô brincando cara.” – rimos de novo e saímos carregando as coisas até onde estava o pessoal.
Sentado junto com meus amigos, fiquei a tarde toda aproveitando aquela piscina, as conversas e as bebidas. De longe admirava o Luan sem ninguém perceber é claro, que não se fazia de difícil e sempre devolvia as olhadas que eu dava, não podia ser coisa da minha cabeça aquilo, né? Porém mais uma vez, fiquei na minha para não levantar suspeita. Com a chegada da noite, a maioria do pessoal combinou de ir em uma festa que iria rolar perto de onde estávamos, mas eu preferir ficar em casa mesmo, pois não estava sóbrio o suficiente para sair e o sono me consumia. Fui dormir. No meio da madrugada, umas 05h mais ou menos, acordei com uma vontade louca de ir ao banheiro e saí correndo para o primeiro que encontrei na minha frente. Decide também tomar logo um banho, pois era quase de manhã. No meio do banho, alguém abriu a porta do banheiro…
“– Pô cara foi mal.”
“– Luan?” – perguntei , no susto.
“– Nem vi que tinha alguém , foi mal de novo.” – ele foi falando e saindo.
“– Você quer mijar?” – perguntei.
“– Tô apertado pra caralho mesmo cara.”
“– Faz ai então cara, , relaxa. Falei continuando meu banho
“– Cara terminou ai?” – perguntei sabendo que ele já tinha terminado mesmo, pois o barulho havia terminado.
“– Passa a toalha que tá ai atrás da porta, por favor!” – Virei a cabeça olhando pra ele que vinha na minha direção já me entregando a toalha.
“– Aqui.” – ele fez questão de abrir o box e me entregar.
Tentando esconder meu pau, que por sinal já estava bem duro (21cm) , com uma mão e com a outra tentando pegar a toalha que ele segurava. Quando peguei, ele jogou-a no chão.
“– Agora vai ter que baixar pra pegar.” – ele falou me olhando fixamente e com uma cara de safado.
“– Você tá louco?” – perguntei com ar de bravo (tinha que me fazer de difícil )
“– Vai pegar ou não?” – continuou ele com ironia. Olhei para o volume que vinha se formando na bermuda dele e fui me virando pra ele poder me ver de pau duro também.
“– Quer que pegue também no seu…” Ele não me deixou terminar de falar e já veio entrando no box segurando minha mãos, me empurrando na parede e levantando meus braços, começou a me beijar intensamente e loucamente. Ficamos nos beijando com os corpos colados um no outro. Quando consegui me soltar, fui baixando minhas mãos abrindo a bermuda dele e agarrando no seu pau grosso, uns 14 cm branquinho da cabeça rosa que já estava duro igual uma rocha. Comecei a punhetar e ele fazia o mesmo em mim enquanto ainda nos beijávamos, podia sentir sua boca tremer junto a minha. Fiz ele virar e ficar encostado na parede dessa vez.
“– Não aguentava mais só olhar pra você, e pro volume da sua sunga gostoso.” – falou ele no meu ouvido baixinho.
“– Eu que não aguentava mais.” – Prendi ele na parede com meu corpo, nossos paus roçavam um no outro deliciosamente. Fui descendo beijando seu corpo, passando pelo seu pescoço, depois pelo peitoral e abdômen durinho e lisinho. Virei ele de costas, fiquei de joelhos no chão, agarrando sua bunda que era todo depilado e comecei a passar a língua bem devagar, fazendo ele gemer. Fui descendo a boca até linguar la no fundo.
Com uma mão só punhetava ele e com a outra batia uma punheta frenética em mim mesmo. Chupava com muita vontade aquele rabo, pois desde a primeira vez que vi foi meu primeiro pensamento e estava realizando. Depois ele puxou meu cabelo de leve me fazendo ficar de pé novamente, voltamos a nos beijar e ficamos serrando um ao outro.
Depois disso, ele me empurrou, só que agora me fazendo ficar de frente para ele. Começou a beijar e morder meu pescoço e foi baixando até ficar de joelhos no chão e passou a fazer um boquete glorioso enquanto me punhetava com força também. A cada vez que aquela língua passava no meu pau e me arrepiava inteiro. Pedi para que ele parasse para que eu não gozasse naquele momento, pois ele me chutou com ainda mais intensidade e me olhando com cara de puta. Ele não parava e acabei não aguentando, me fazendo gozar dentro da boca dele.
“– Que leite gostoso.” – falou ele engolindo toda a gala. Meu pau ainda continuava duro e eu pedi pra ele ficar de quatro, depois comecei a bater meu pauzão na sua bunda e forçava pra enfiar no meu cu. Sem camisinha ou lubrificante, juntamos nossa saliva passando na entrada no seu cu. Com dois dedos dentro cu eu massageava por dento e por fora me fazendo gemer, depois passou mais saliva e comecei a enfiar devagarzinho o pau. Fui enfiando, enfiando, enfiando até entrar tudo. Ele começou a mexer bunda, avisando que estava confortável, então eu passei a socar bem lento meu pau fazendo movimentos de vai e vem.
Fui aumentando o ritmo e enfiei o pau todo lá dentro e ficou parado enquanro ele tantava abafar os gemidos. Olhou para trás e eu ia com a mão atrás da nuca e fechava os olhos enquanto ele fazia sozinho os movimentos. Rebolava e contraia o cu no vai e vem. Eu desci as mãos agarrando sua cintura e comecei a socar com força, enfiava cada vez mais forte e intensamente. Ele baixou mais o tronco ficando com a bunda bem empinada, dava alguns tapinhas nela e eu sentia cada centímetro do meu pau dentro daquele gostoso. Eu o fodia rápido, fazendo com que eu sentisse seu pau latejar quando eu enfiei tudo e gostei pela segunda vez, mas Agora dentro de seu cu, uma gozada farta.
As primeiras luzes da manhã entravam no banheiro enquanto levantávamos do chão. Tomamos um banho rápido. Quando ele acabou, foi saindo do banheiro e me olhando com um sorriso safado estampado do rosto.

“– Esse é um segredo só nosso viu, meu gostoso.” – falou ele fechando a porta e me olhando.

“– Só nosso minha putinha.” – sorri e devolvi a piscada de olho que ele me deu ao sair.

Ainda no passeio em uma das nossas conversas na madrugada, ele me confessou que estava com a minha amiga só por conta da família e que, na verdade, ele era gay e já tinha ficado com outros caras.

Ainda ficamos outras três vezes depois que eles terminaram o namoro, pois “se assumiu” para ela e para a família também. Mas ele foi morar na Austrália e não nos encontramos mais.
Votem e comentem se gostarem e leiam os outros contos por favor, e me mandem msgs respondo todos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.